Mundial de Skate Park 2019 - Dia 3


O penúltimo dia do Mundial de Skate Park, que está sendo realizado em São Paulo, conheceu as medalhistas na disputa feminina, com o Japão dominando a competição com os títulos  de Misugu Okamoto, de 13 anos, e a prata com sua compatriota Sakura Yosozumi. O bronze ficou com a britânica Sky Brown, de apenas 11, que mora e treina em Miyazaki, no Japão. O Brasil esteve representado na grande decisão por Dora Varella e Isadora Pacheco, que terminaram na sexta e sétima colocações, respectivamente.

Dora teve a melhor avaliada pelos juízes em 48 pontos e Isadora teve um 46 como melhor nota. A campeã Misugu teve como melhor pontuação 61,17, seguida por Sakura com 60; e Sky com 58,13. 

“Minha meta nessa competição era chegar na final e estou terminando com o sexto lugar. Não imaginava. Na pista que eu ando todos os dias, vi o alto nível das meninas, me inspirando a treinar mais forte e tentar novas manobras. Elas mereceram o resultado. Foi demais ter eu e a Isa juntas na final”, contou Dora, que muda os sonhos de patamar depois de um grande Mundial. 

“Eu nunca tinha ido para uma final de um campeonato classificatório para os Jogos Olímpicos e esse Mundial mostrou que eu tenho chance, me motivou e agora sei que se eu continuar trabalhando e me divertindo, posso conseguir colocações cada vez melhores. É incrível ser a sexta melhor do mundo", disse Dora.

Como o Mundial rende pontos para os Jogos Olímpicos de Tóquio, o trio que foi ao pódio consolida-se em boa posição para assegurar vaga para o megaevento. Atualmente, Misugu é a líder do ranking da corrida olímpica, justamente à frente de Sakura. Sky, que até a última atualização da listagem ocupava a nona posição geral, deve subir e entrar no top 5.

Para definir os atletas que estarão classificados para os Jogos de Tóquio serão contabilizados os dois melhores resultados da primeira janela olímpica (janeiro a setembro de 2019) e os quatro melhores resultados da segunda janela (setembro de 2019 a maio de 2020). O Brasil disputa 12 vagas olímpicas, sendo três para cada modalidade (Park e Street), por gênero (masculino e feminino).

Classificação final do Mundial Feminino de Skate Park
1) Misugu Okamoto (JAP) - 61,17
2) Sakura Yosozumi (JAP) – 60
3) Sky Brown (GBR) - 58,13
4) Poppy Starr Olsen (AUS) – 56
5) Lizzie Armanto (FIN) – 49
6) Dora Varella (BRA) – 48
7) Isadora Pacheco (BRA) – 46
8) Kisa Nakamura (JAP) - 45,57


MASCULINO
O Brasil tem nada menos que 50% dos atletas na grande final masculina do Mundial de Skate Park, que termina neste domingo (15), no Parque Cândido Portinari, em São Paulo. Pedro Barros, Luiz Francisco, Pedro Quintas e Mateus Hiroshi passaram pelas semifinais neste sábado (14) e seguem na busca pelo título. Os adversários serão três americanos e um australiano.

Pedro Barros foi o grande destaque brasileiro, terminando a semifinal na primeira colocação com 86 de pontuação, meio ponto à frente do australiano Keegan Palmer e um ponto do americano Thomas Schaar, segundo e terceiro respectivamente.

“O importante é amanhã, mas hoje foi um parâmetro. Nível realmente muito alto. Estou muito satisfeito, consegui fazer até mais do que eu queria. Vamos com tudo para amanhã”, disse Pedro, que já está pensando em uma manobra arriscada para a grande decisão. “Aprendi o 540 (manobra em que o skatista dá uma volta e meia no ar) durante essa semana e espero fazer ela amanhã. Foi um bom treino ter colocado ela na volta, foi por pouco que não saiu já na semifinal, mas amanhã espero conseguir”, completou.

Os outros brasileiros, Luiz Francisco, Pedro Quintas e Mateus Hiroshi, passaram na quinta, sexta e sétima colocações. A grande surpresa foi mesmo Mateus, que avançou todas as fases desde a primeira qualificatória. Ele foi o 9º no Open - primeira fase -, 4º nas quartas-de-final e, agora, 7º na semifinal. O atleta de 18 anos de Carapicuíba, na grande São Paulo, começou a andar de skate por causa da professora da creche, que levava a turma pra brincar na praça. 

“Quando eu era criança, com uns cinco anos, eu estudava numa creche do lado de casa e na pracinha em frente tinha umas minirampas que a professora sempre levava a gente para brincar. Um dia voltei para casa e falei com meu pai que eu queria começar a andar de skate porque vi a galera andando. Ele gostou, começou a andar também e vimos que era um esporte legal. Fui crescendo nos campeonatos e consegui me ranquear para entrar nesse”, contou Hiroshi.

“Esse Mundial é a competição da minha vida, não tem como não ser. Minha primeira competição desse nível e estou na final! Não sei nem o que falar, estou muito feliz”, comentou Mateus.

A expectativa para a final é andar bem e sentir, como nunca, a energia que a torcida está passando para ver até onde dá para ir. Afinal, estar entre os oito melhores do mundo, ao lado de atletas que o inspiraram e que são amigos, era algo inimaginável até alguns dia atrás.

“O resultado é importante, mas a energia que essa torcida está passando é muito importante também. Muito bom ver a galera curtindo o evento. A cabeça está trabalhando, muita gente dando apoio, muita gente acreditando”, contou. “Comecei a andar com uma galera, conheci muita gente, fiz amigos me incentivaram muito. Agradeço muito ao meu pai, que não desistiu de mim, me levou pro esporte, e aos meus amigos que me incentivaram, que treinam comigo, me fizeram estar aqui e seguir nesse esporte maravilhoso”, completou.

A grande final terá quatro voltas de 45 segundos – ou até a primeira queda – para cada um dos atletas. As três piores notas são descartadas. O Esporte Espetacular transmite a competição, ao vivo, a partir das 10h15 da manhã deste domingo (15).

Classificados para a final:
Pedro Barros (BRA) – 86
Keegan Palmer (AUS) – 85,5
Thomas Schaar (EUA) – 85
Heimana Reynolds (EUA) – 84,7
Luiz Franciso (BRA) – 84,6
Pedro Quintas (BRA) – 84,5
Mateus Hiroshi (BRA) – 84
Tate Carew (EUA) – 83,5

Foto: Julio Detefon/Divulgação

Postar um comentário

Copyright © Surto Olimpico. Designed by OddThemes