Mundial de Luta 2019 - Dia 5


Com a participação brasileira no feminino, saíram nesta quarta-feira (18) as primeiras medalhas das disputas femininas no Mundial de Luta, que está sendo disputada em Nur-Sultan (KAZ).

Na categoria até 50kg, Mariya Stadnik (AZE) foi a campeã. Já as vagas olímpicas ficaram com Azerbaijão, Romênia, Cazaquistão, Rússia, Ucrânia e China.

Já na categoria até 53kg, o título foi para Pak Yong-mi. As vagas ficaram com Coreia do Norte, Japão, Índia, China, Grécia e Pólônia.

A categoria até 55kg, que não é olímpica, foi vencida por Jacarra Winchester (USA).

Aline Silva segue na briga pelo bronze e por uma vaga em Tóquio 2020

O wrestling feminino voltou ao tapete de lutas na madrugada desta quarta-feira. Aline Silva, vice-campeã mundial em 2014 e quinta colocada no Mundial 2015 voltou a disputar o principal torneio da modalidade depois da ausência em 2018. A brasileira estreou com vitória sobre a três vezes medalhista mundial Vasilisa Marzaliuk, de Belarus, por 2 a 1. Nas oitavas, Aline acabou superada também por 2 a 1 pela japonesa Hiroe Minagawa. Como a oponente chegou até a final, a brasileira volta ao tapete de lutas nesta quinta-feira, às 2h, para disputar uma vaga em Tóquio. Aline precisa vencer duas lutas na repescagem para chegar a disputa de medalha de bronze, o suficiente para garantir vaga nos Jogos.

Na primeira luta, Aline saiu em desvantagem no placar ao ser retirada da área delimitada no tapete, único deslize da paulista no combate. A brasileira não se desesperou e manteve seu plano de luta até forçar a punição de Marzaliuk. Mesmo com o empate e a vantagem no critério de desempate pelo último golpe aplicado, Aline conseguiu retirar a oponente do tapete e fechar em 2 a 1.

Nas oitavas de finais, Aline enfrentou a japonesa Hiroe Minagawa. O roteiro parecia se repetir, Aline saiu em desvantagem no placar fruto de uma punição por passividade no primeiro round. No entanto, no segundo round a arbitragem voltou a punir a brasileira com outro short clock e Minagawa abriu 2 a 0. Em seguida, o árbitro aplicou a punição por passividade para japonesa, mas restavam apenas 30 segundos de combate. Aline ainda tentou dois últimos ataques sem sucesso e o placar terminou em 2 a 1 para a oponente.


Como Miragawa garantiu vaga na final, Aline Silva vai voltar para repescagem nesta quinta-feira. A brasileira enfrenta a nigeriana Blessing Onyebuchi na primeira luta da repescagem e se vencer enfrenta a chinesa Qian Zhou pela vaga nos Jogos Olímpicos de Tóquio.

Já Giullia Penalber alcançou as quartas de final na categoria até 57kg e ficou a uma vitória da posição mínima para garantir a vaga nos Jogos. A lutadora venceu dois combates e realizou a melhor campanha de um atleta nacional no campeonato deste ano. Confira como foi o desempenho da brasileira luta a luta.

Giullia estreou contra a uzbeque Nigora Bakurova e logo na primeira ação da luta conseguiu uma queda de quatro de pontos. A partir daí a brasileira aproveitou a vantagem no placar para se defender de todas as investidas da oponente.  Apenas no segundo round, Bakurova conseguiu retirar a brasileira da área permitida e pontuar, mas Giullia seguiu com uma defesa sólida e segurou a vantagem até o fim para vencer por 4 a 1.

Nas oitavas de final, Giullia enfrentou a três vezes medalhista mundial Emere Barka. A carioca repetiu o mesmo movimento da primeira lutar e conquistou uma queda de 2 pontos. Barka reagiu passou para as costas da brasileira e em seguida retirou-a do tapete par virar o placar em 3 a 2 e sair com vantagem para o intervalo. No segundo round, Giullia voltou a dominar o pulso da rival, conseguir mais uma queda e passar a frente do placar novamente 4 a 3. Em desvantagem, Barka tentou o single leg, prontamente defendido por Giullia. A brasileira contra-atacou, conseguiu uma queda de quatro pontos e o touche para garantir vaga nas quartas de finais.

Nas quartas, Giullia enfrentou Jowita Wrzesien, da Polônia. A vitória garantiria um lugar entre as quatro primeiras e a vaga para Tóquio. A lutadora nacional terminou o primeiro round com 2 a 0 no placar depois de conseguiu desequilibrar a rival com perna de direita e provocar uma queda lateral. No segundo round, Jowita voltou agressiva e depois de um single leg conseguiu passar para as costas da brasileira e empatar o placar. A um minuto e meio do fim, a polonesa furou a defesa da brasileira e conseguiu o encostamento para garantir vaga na semifinal e em Tóquio.

Como Jowita perdeu a semifinal para a chinesa Ningning Rong por 6 a 1, Giullia não pôde voltar para repescagem e encerrou sua participação no Mundial sem a chance de lutar por medalhas.

Foto: UWW

Postar um comentário

Copyright © Surto Olimpico. Designed by OddThemes