Judoca Nathália Brigida passará por cirurgia na coluna e está fora do Pan e do Mundial


A seleção brasileira de judô sofreu uma baixa importante para os Jogos Pan-Americanos de Lima (PER) e para o mundial de judô em Tóquio (JPN) em agosto. A judoca Nathália Brigida  da categoria até 48kg foi cortada na quinta-feira (18). Ela terá de passar por uma cirurgia na coluna por conta de uma hérnia de disco e não poderá disputar o torneio, que começa no dia 26 de julho. O tempo de recuperação será de dois meses.

Brigida foi bronze na edição de Toronto, em 2015. A lesão chega como um balde de água fria na carreira da atleta, que vive bom momento. Nathália iniciou o ano pré-olímpico com o pé direito, conquistando quatro medalhas no circuito mundial: três bronzes e uma prata.

Com os resultados, subiu 70 posições no ranking. É a número 21 do mundo na categoria e, hoje, já estaria classificada para os Jogo Olímpicos de Tóquio 2020. Essa é a terceira cirurgia para o currículo da paulista, ela esteve afastada por mais de dois anos dos tatames recuperando-se de operações no ombro direito.

Em seu lugar, a entidade ainda não escolheu uma substituta. Gabriela Chibana seria a provável escolha por ser a segunda brasileira mais bem ranqueada do mundo no peso. Já para o mundial,  a vaga foi repassada a Aléxia Castilhos, de 24 anos, da categoria até 63kg.

Para a convocação do Mundial, a CBJ se baseou na pontuação dos atletas de acordo com o ranking do site judobase.ijf.org após o Grand Slam de Baku, no Azerbaijão, em maio. Apenas as nove melhores colocadas são chamadas — sete de cada categoria, mais duas vagas extras. 

Não sendo obrigatória a presença de uma atleta para cada peso. Neste ano, por exemplo, a CBJ não terá representantes nas categorias 48kg e 73kg. Como na época a gaúcha estava em 10°, havia ficado de fora da lista final. Mas agora, com Nathália lesionada, Aléxia herda a vaga.

Postar um comentário

Copyright © Surto Olimpico. Designed by OddThemes