Grand Prix de Judô - Budapeste - Dia 02: Ketleyn Quadros e João Macedo garantem medalhas de prata para o Brasil


Dia muito bom para os brasileiros em Budapeste. Nossos judocas surpreenderam e, mesmo ser o favoritismo, conseguiram três semifinais e duas finais. No fim, trouxeram para casa duas medalhas de prata, com a experiente Ketleyn Quadros (-63kg) e o surpreendente João Macedo (-81kg), ambos em dias inspirados.

Com o ouro de Rafaela e os resultados deste sábado, Brasil subiu para o segundo lugar no quadro geral de medalhas, ficando atrás apenas do Japão, que tem três medalhas de ouros.

O caminho de Ketleyn à final

Em preparação para representar o Brasil no Campeonato Mundial de Tóquio, em agosto, Ketleyn Quadros mostrou segurança nos golpes e passou bem pelas preliminares. Venceu Lubjanan Piovesana (Grã-Bretanha), Edwige Gwend (Itália), Karolina Talach (Polônia), Dena Pohl (Alemanha) e Szofi Ozbas (Hungria). 

Na final, encarou a japonesa Masako Doi em combate estratégico que terminou sem pontuações no placar. Ketleyn defendeu bem os poucos ataques da japonesa, que já havia sido punida duas vezes por pegada irregular, mas acabou sofrendo três punições.

"Uma medalha no Circuito Mundial a essa altura traz confiança para o Mundial no sentido de mostrar que estamos no caminho certo na preparação. Tenho muito que agradecer tanto os treinos disponibilizados pela CBJ, quanto pelo meu clube Sogipa, muito comprometido com essa causa de 2020", projetou Ketleyn, que somou mais 490 pontos na ranking mundial e busca uma classificação na sua segunda Olimpíada. 

João Pedro Macedo surpreende e conquista sua primeira medalha no Circuito

A segunda medalha brasileira do dia veio com o meio-médio João Pedro Macedo. Ele chegou à final de uma categoria que contava com alguns dos top 10 do mundo, como Sagi Muki, Frank de Wit, Ivailo Ivanov e até o campeão olímpico Khasan Khalmurzaev. 

Mas, todos eles ficaram pelo caminho e a final acabou sendo protagonizada por duas surpresas: o brasileiro e o georgiano Tato Grigalashvili, de apenas 19 anos. 

Depois de passar por Timo Cavelius (Alemanha), Jim Heijman (Holanda), Antonio Esposito (Itália) e Ruslan Mussayev (Cazaquistão), João encarou o dominicano Madickson Del Orbe na semifinal e não teve vida fácil. Sofreu um waza-ari, mas conseguiu buscar o ippon para se garantir na final. 

Na luta pelo ouro, porém, o brasileiro não conteve os eficazes ataques de Grigalashvili e caiu de waza-ari duas vezes. Apesar da derrota, a prata teve um quê de especial para o judoca. 

"Essa é minha primeira medalha em Grand Prix. Estou muito agradecido por tudo o que aconteceu hoje. Consegui fazer boas lutas e agora o treinamento segue para os próximos desafios. Agradeço aos meus parceiros de treino, meu clube, minha família, amigos que me apoiam e a Deus também", comemorou o atleta que defende as cores da Sogipa, do Rio Grande do Sul. 

Quinto lugar para Maria Portela em "clássico" pan-americano

O judô brasileiro ainda teve uma terceira chance de pódio com a médio Maria Portela. Atual número seis no ranking mundial, Portela chegou como cabeça de chave e confirmou o posto ao vencer todas as adversárias nas preliminares. Bateu Taisia Kireeva, da Rússia, superou sua ex-compatriota Barbara Timo (Portugal) com um waza-ari e venceu Miriam Butkereit, da Alemanha, nas quartas. 

A primeira derrota veio na semifinal após ser imobilizada pela britânica Gemma Howell, que conquistou o ouro ao final do dia. 

Por fim, na disputa pelo bronze, Portela encarou uma velha conhecida, a canadense Kelita Zupancic. As duas já se enfrentaram 16 vezes e Maria tem 10 vitórias sobre Zupancic. dessa vez, a arbitragem foi rigorosa numa luta bastante apertada e definiu a campeã nas punições. Pior para Portela, que levou três, contra duas de Zupancic.

Outros brasileiros subiram no tatame

Leandro Guilheiro (81kg) e Ellen Santana (70kg) também lutaram neste sábado, mas pararam na primeira rodada. Guilheiro perdeu para Anri Egutidze, de Portugal, nas punições, enquanto Ellen caiu para a chinesa Xiaoqian Sun, com um waza-ari no golden score. 

Jefferson Júnior (73kg) foi outro a lutar hoje. Venceu duas primeiras lutas contra Hamsat Isaev (GER) e Daniel Williams (GBR). Porém, parou diante do tricampeão mundial Masashi Ebinuma (JPN).

Para não perdermos o hábito, vamos aos destaques de hoje.

MULHERES

-63kg

Medalhista de bronze no Grand Slam de Dusseldorf e de ouro no Grand Slam de Osaka, Masako Doi (JPN) encontrou na final a brasileira Ketleyn Quadros, medalhista de bronze nas olimpíadas de Pequim/2008. A competição era importante para a brasileira, que está atrás de Alexia Castilhos na corrida olímpica.

Bastante compenetrada, a brasileira foi avançando luta a luta e surpreendeu chegando na final. Porém, esbarrou na força e da japonesa, que não permitiu ataques da brasileira e cadenciou bastante a luta. No Golden Score, Ketleyn recebeu o terceiro shido e foi desclassificada, deixando escapar a medalha dourada. Ainda assim, grande resultado da brasileira. 


A primeira medalha de bronze foi vencida pela medalhista de prata do Campeonato Pan-Americano, a forte cubana Maylin Del Toro Carvajal, que derrotou a jovem atleta da casa, Szofi Ozbas, por um placar de waza-ari. Logo depois, Junxia Yang (CHN) superou a surpreendente mexicana Prisca Awiti-Alcaraz, completando o pódio.

-70kg

Algoz de Maria Portela nas semifinais, Gemma Howell (GBR) venceu, na final, a duas vezes medalhista mundial, Maria Bernabeu (ESP), ganhando seu primeiro título da IJF World Tour. Howell está em uma briga particular pela vaga olímpica contra Sally Conway e a vitória contará pontos preciosos para a campeã de Budapeste. 

A britânica conseguiu projetar Bernabeu para um waza-ari e, depois, conseguiu encaixar um estrangulamento, para pontuar com um ippon e subir no lugar mais alto do pódio. Gemma teve um doce incentivo: sua mãe, que estava na arquibancada e recebeu o primeiro abraço da campeã.


As medalhas de bronze ficaram com a canadense Kelita Zupancic, vencendo Maria Portela, e pela grega Elisavet Teltsidou, que nem precisou subir ao tatame, já que sua adversaria, a alemã Miriam Butkereit, sofreu uma lesão e não teve condições de voltar. Melhoras para a Miriam.

HOMENS 

-73kg

Olha o Kosovo aí, gente! Mais uma medalha para o pequeno país europeu, que é grande no mundo do judô. O responsável por desencantar o ouro kosovar foi Akil Gjakova. O medalhista de prata do Grand Prix de Haia derrotou, na final, o russo Georgii Elbakiev, aplicando um belo golpe para pontuar com ippon. 


Os medalhistas de bronze foram Khikmatillokh Turaev (UZB) e Telman Valiyev (AZE). A surpresa ficou por conta de Masashi Ebinuma (JPN), tricampeão mundial (2011, 2013 e 2014) e duas vezes medalhista olímpico (2012, 2016), que derrotou o brasileiro Jefferson Júnior, mas não conseguiu subir ao pódio.

-81 kg 

A maior e mais grata surpresa do dia para os brasileiros foi João Macedo. Com uma campanha irreparável até chegar à final, o nº 170 do mundo nem de longe era candidato ao feito que realizou. O brasileiro só parou diante da jovem promessa Tato Grigalashvili (GEO), com apenas 19 anos. Ao que parece, a Geórgia vai manter a tradição de revelar grandes judocas.

O jovem não deu qualquer chance para o brasileiro. Foram dois golpes certeiros. O primeiro, com um o-uchi-gari, o georgiano pontuou com um waza-ari. Logo em seguida, novo golpe encaixado e pronto: ippon.

Mesmo sem o ouro, o resultado é interessante para João Macedo que cresce no ranking olímpico e pode incomodar Eduardo Yudy.


As medalhas de bronze ficaram com Attila Ungvari (HUN), para loucura dos donos da casa, vencendo Shamil Borchashvili (AUT), e por Ivaylo Ivanov (BUL), que venceu outra surpresa, o dominicano Medickson del Orbe Cortorreal.

Calendário de amanhã

Amanhã mais brasileiros sobem no tatame. No masculino, contamos apenas com Matheus Assis (-90kg). No feminino, Mayra Aguiar (-78kg), Maria Suelen Altheman e Beatriz Souza (+78kg) representam as cores verde e amarelo.

Fonte/Foto: IJF/CBJ

Postar um comentário

Copyright © Surto Olimpico. Designed by OddThemes