Nadadora pernambucana bate duas vezes o recorde mundial no Open Internacional de Natação e Atletismo Paralímpicos


A nadadora pernambucana Carol Santiago, 33, quebrou duas vezes, na sexta-feira, 26, o recorde mundial dos 100m peito classe SB12, para atletas com baixa visão. É a segunda marca histórica quebrada no Open Internacional de Atletismo e Natação Paralímpicos, que ocorre ate sábado, 27, no CT Paralímpico, em São Paulo.

Na quinta-feira, 25, Vinicius Rodrigues obteve o feito nos 100m T63, para amputados de perna, no atletismo. O evento reúne 602 atletas de 20 países.

Carol venceu sua eliminatória dos 100m peito SB12 com o tempo de 1min14s94, oito centésimos abaixo do tempo da alemã Elena Krawzow (1min15s02), estabelecido em Eindhoven, na Holanda, no início deste mês. Na parte da tarde, retornou ao centro aquático e venceu a final da prova com o tempo de 1min14s79. É o primeiro recorde mundial da natação feminina paralímpica brasileira desde 2004, quando Fabiana Sugimori faturou os 50m livre nos Jogos Paralímpicos de Atenas 2004.

Esta é a estreia de Carol Santiago em competições internacionais. A atleta praticava natação convencional até outubro passado, em Recife. Por ter nascido com Síndrome de Morning Glory (alteração congênita na retina que reduz seu campo de visão), chamou a atenção de seu treinador, que entrou em contato com Ana Paula Brandão, técnica do Grêmio Náutico União, de Porto Alegre, para analisar a possibilidade de uma transição ao esporte paralímpico. Obteve sua classificação funcional e rapidamente destacou-se no Campeonato Brasileiro de 2018. 

"Estou muito feliz e emocionada por ter conseguido quebrar este recorde mundial. Fui apresentada ao esporte paralímpico recentemente e não poderia me sentir melhor. Ainda tenho pela frente a etapa nacional do Circuito Loterias Caixa, em maio, mas estou muito ansiosa para disputar as competições internacionais deste ano pelo Brasil", disse Carol Santiago. 

A atleta passou o último mês no CT Paralímpico, onde fez um trabalho específico com Leonardo Tomasello, técnico-chefe da natação pelo Comitê Paralímpico Brasileiro. No Open, registrou ainda os novos recordes continentais dos 50m e 100m livre, classe S12. No sábado, encerrará sua participação nos 100m borboleta. 

O Open é chave para a classificação aos respectivos Mundiais e aos Jogos Parapan-Americanos de Lima, que acontecerão no segundo semestre. Carol carimbou seu passaporte para ambos os eventos com a performance desta semana. 


Outros recordes das Américas caíram nesta sexta. Gabriel Cristiano tornou-se o mais veloz dos 50m livre S8, com 26s63, e Cecília Araújo venceu a versão feminina da prova em 30s69 cravados. No atletismo, a argentina Antonella Ruiz venceu o lançamento de disco feminino F41 e tornou-se recordista continental, com 24,51m. 

Foto: CPB

Postar um comentário

Copyright © Surto Olimpico. Designed by OddThemes