Grand Prix de Judô - Antalya - Último dia - Bia Souza e Buzacarini medalham para o Brasil


Não. Não é um Déjà vu. É porque, assim como na semana passada, Beatriz Souza (+78kg) e Rafael Buzacarini (-100kg) voltaram a brilhar em um Grand Prix e conquistar a medalha de prata. Assim como em Tbilisi, os judocas foram irrepreensíveis até chegar a final. Porém, na luta decisiva, acabaram sofrendo o revés e ficando com a prata. Ainda assim, o bom resultado dá sobrevida à Beatriz na corrida olímpica, uma vez que Suelen Altheman está imparável, assim como folga o Bolo (como carinhosamente chamam Buzacarini) na dianteira da categoria.

Assim, com as duas medalhas de hoje, o judô brasileiro subiu ao pódio todos os dias de competição, em quatro oportunidades. Na sexta, teve o bronze de Larissa Pimenta (-52kg), no sábado, a prata de Maria Portela, e no domingo, encerrando a competição, como dito, Beatriz Souza (+78kg) e Rafael Buzacarini (-100kg).

Além da dupla prateada, Leonardo Gonçalves (-100kg) e David Moura (+100kg) chegaram bem perto do pódio, mas deixaram o bronze escapar e ficaram em quinto lugar.  

Buzacarini novamente no pódio

Apesar da derrota na final, Buzacarini, que chegou à sua segunda decisão consecutiva em Grand Prix nesta semana, venceu alguns dos principais nomes do meio-pesado masculino na caminhada rumo ao pódio. Passou pelo atual vice-campeão olímpico Elmar Gasimov, do Azerbaijão, nas quartas, e pelo vice-campeão mundial absoluto, Toma Nikiforov, da Bélgica, na semifinal. O belga foi o algoz do brasileiro Leonardo Gonçalves na disputa pelo bronze. 

Na final, Buzacarini enfrentou o francês Alexandre Iddir, que impôs volume maior de ataques e conseguiu forçar duas punições por passividade ao brasileiro. A luta seguiu sem pontuação para o golden score e Iddir achou um golpe para derrubar Buzacarini e ficar com o ouro. 

"Fiz uma boa competição novamente, ganhei de grandes adversários, possíveis Top 10. Foram duas medalhas de prata em duas competições seguidas. Muito importante para mim. Minha evolução está a cada dia melhorando e tem muito mais para acontecer esse ano ainda", avaliou o brasileiro relembrando a prata no Grand Prix de Tbilisi, na Geórgia, no último domingo. 

Beatriz Souza mostra a força das pesadas brasileiras


Melhor categoria do país, atualmente, a peso pesado Beatriz Souza repetiu na Turquia o resultado da Géorgia. Atual número oito do ranking mundial, a brasileira estreou com vitória sobre a italiana Eleonora Geri, nas oitavas, e passou pela alemã Jasmim Kuelbs, nas quartas. Na semifinal, Bia derrotou Maryna Slutskaya, da Bielorrússia, e só parou na final diante da azeri Iryna Kindzerska, número seis do mundo. 

"Fiquei feliz por essa segunda final nesses dois finais de semana seguidos. Quero buscar um degrau de cada vez, ir seguindo e me sentir bem lutando", projeta a judoca brasileira. 

Brasil teve mais chances de medalha

No pesado masculino, o Brasil também teve uma grande chance de subir ao pódio, com o vice-campeão mundial David Moura. Ele estreou com vitória sobre Furkan Guner, da Turquia, e passou pelo mongol Bat-Orshikh Sumiyabeis. Nas quartas, contudo, David foi superado por Levani Matiashvili, da Geórgia, e teve que se recuperar na repescagem, derrotando o russo Anton Krivobokov. 

A luta pelo bronze parecia controlada quando o brasileiro pontuou com um waza-ari, mas o romeno Vladut Simionescu reagiu rápido e imobilizou David Moura até o ippon. 

Foi assim também com Leonado Gonçalves. Ele estreou vencendo o grego Georgios Malliaropoulos e avançou às quartas, derrotando Mikita Sviryd, da Bielorrússia. Caiu em seguida para Alexandre Iddir, da França, mas se garantiu no bronze ao derrotar o húngaro Zalan Ohat. Na luta pela medalha, Nikiforov conseguiu o ippon e o brasileiro ficou com a quinta colocação. 

Os médios (90kg) Rafael Macedo e Gustavo Assis também lutaram neste domingo, mas pararam na primeira rodada. 

A seleção retornará ao Brasil e já se apresentará na terça-feira, 09, em Pindamonhangaba, no Treinamento de Campo internacional da CBJ. 

E para não deixar o costume, vamos aos resultados de hoje.

CATEGORIAS FEMININAS 

-78kg

Vencedora do Grand Prix de Marraquexe, Anna Maria Wagner (GER) mostra que está evoluindo sua forma e, agora, acumula sua segunda vitória em Grands Prix em 2019. Wagner derrotou a ex-medalha de bronze mundial, Kaliema Antomarchi (CUB), na final da -78kg. A alemã, agora, vai figurar no top 10 do mundo na lista de ranking mundial da IJF. 

A Alemanha ainda levou a segunda medalha na categoria. Foi o bronze com Luise Malzahn, que derrotou a americana Nefeli Papadakis (EUA), por um waza-ari e depois aplicou um kuzure-kesa-gatame, técnica de estrangulamento, para conquistar sua 21ª medalha em Grands Prix.

A segunda medalha de bronze foi vencida por Anastasiya Turchyn (UKR), medalhista de prata do Grand Prix de Antalya em 2018, que venceu Patrícia Sampaio com um estrangulamento de koshi-jime, após 78 segundos de Golden Score.

+78kg


A medalhista de bronze do Grand Slam em Düsseldorf, Iryna Kindzerska (AZE) venceu a brasileira Bia Souza, que foi vice também há uma semana, em Tbilisi. A Azeri precisou de apenas 17 segundos para decretar a vitória, com a técnica de um harai-makikomi. 

As medalhas de bronze foram conquistadas por Kayra Sayit (TUR), para loucura dos presentes, e por Jasmin Kuelbs (GER),. 

CATEGORIAS MASCULINAS 

+90kg 

A primeira medalha dos donos de casa veio com Mikail Ozerler (TUR), ao vencer, na final, o georgiano Giorgi Papunashvili (GEO), medalha de prata em Tbilisi. Apenas número 47 do mundo, Ozerler, antes conhecido como Mihael Zgank, antes de mudar sua nacionalidade da Eslovênia para a Turquia, no ano passado, ganhou sua primeira medalha por sua nova bandeira. Como se naturalizou, só agora inicia sua corrida para qualificação para Tóquio 2020.

O ex-campeão mundial Avtandili Tchrikishvili (GEO), derrotado por Ozerler nas semifinais, acabou garantindo o bronze, ganhando de Aleksandar Kukolj (SRB), por ippon. A segunda medalha ficou com Komronshokh Ustopiriyon (TJK) que derrotou o israelense Itay Golan (ISR), nº 223 do mundo.  

-100kg


Vencedor do Grand Prix de Tel Aviv, o francês Alexandre Iddir não deu chances a Rafael Buzacarini. A luta foi longa, e alcançou o golden score. Iddir, nº 22 do mundo, aplicou um ko-uchi-gari para derrubar o brasileiro e vencer por ippon. 

Toma Nikiforov (BEL), que perdeu para Buzacarini na semifinal, deu o troco no Brasil ao vencer, na disputa pelo bronze, o outro brasileiro da categoria, Leonardo Gonçalves. O belga aplicou um o-soto-makikomi e venceu por um waza-ari. Elmar Gasimov (AZE) também subiu ao pódio para pegar seu bronze.

+100kg

O medalhista de bronze do Grand Prix de Tbilisi, Roy Meyer (NED), foi o protagonista da Holanda na competição, ao garantir a medalha de ouro da + 100kg. O holandês bateu o vencedor Grand Prix de Tbilisi, Levani Matiashvili (GEO), que por pouco não ganhou o segundo Grand Prix em uma semana, mas Meyer estava em seu caminho. O holandês venceu seu quarto Grand Prix na carreira. A vitória veio no Golden Score, depois de 17 segundos.  

Vladut Simionescu (ROU) e Lukas Krpalek (CZE) ficaram com o bronze. 

Próxima parada: Pan-Americano

A próxima competição do Brasil será o Campeonato Pan-Americano de Judô, que acontecerá em Lima, no período de 26 a 28 de abril. Os convocados serão divulgados no próximo dia 11. A disputa vale classificação para os Jogos Pan-Americanos de Lima 2019.

Não se esqueçam que ainda essa semana o Surto trará as novidades do Ranking após Antalya. 

Fotos: IJF

Postar um comentário

Copyright © Surto Olimpico. Designed by OddThemes