Corredor queniano é suspenso por violação de doping


O atleta Cyrus Rutto se tornou o mais recente velocista de média distância do Quênia a ser provisoriamente suspenso em um caso de doping.

A Unidade de Integridade de Atletismo (AIU) da Federação Internacional de Atletismo da Federação de Atletismo (IAAF) acusou Rutto de "usar uma substância ou método proibido" com base em evidências de seu Passaporte Biológico de Atleta (ABP).

Rutto terminou em 13º na final dos 5.000 metros no Campeonato Mundial de 2017 da IAAF em Londres.

O atleta de 26 anos ocupa o 15º lugar no ranking mundial do evento.

Vários atletas quenianos estão suspensos por violações da regra antidoping, enquanto a IAAF incluiu a superpotência de longa distância em uma lista de nações com maior risco de doping em julho de 2018.

Em fevereiro, Sarah Chepchirchir foi provisoriamente suspensa pela AIU.

Chepchirchir foi parceira de treinamento da campeã olímpica de maratona do Rio 2016, Jemima Sumgong, que está cumprindo uma proibição de oito anos por uso de doping.

A suspensão de Sumgong por doping de quatro anos dobrou em janeiro.

Entre os outros atletas quenianos atualmente suspensos por violações da regra antidoping estão a medalhista de bronze em mundial Kipyegon Bett e a tricampeã Maratona de Boston Rita Jeptoo.

Em 2016, o Quênia introduziu um ato antidoping para tornar o doping um crime passível de prisão.

Os recentes problemas de doping do país levaram a WADA a investigar com um relatório descrevendo várias preocupações sobre as estruturas em vigor.

A WADA disse, no entanto, que não havia evidências de doping institucionalizado.

O relatório afirmou que as práticas de doping dos atletas do país eram "pouco sofisticadas, oportunistas e descoordenadas".

Foto:Getty Images

Postar um comentário

Copyright © Surto Olimpico. Designed by OddThemes