Saltador Almir Junior volta ao Brasil com recorde pessoal e muito prestígio



Almir Junior, o mato-grossense Almir Cunha dos Santos, está de volta ao Brasil, depois de participar de um Camping de Treinamento e Competições na Universidade de Kent, em Ohio, nos Estados Unidos. Ele retorna com a segunda melhor marca indoor do mundo do salto triplo de 2019, obtida no último dia 10 no Doug Raymond Invitational Meeting, em Kent, com 17,46 m. O seu prestígio, que já era grande, ficou maior ainda.


Almir terminou a temporada passada em terceiro lugar no Ranking da IAAF ao ar livre, com 17,53 m (0.3), e com o grande título de vice-campeão mundial em pista coberta de Birmingham, na Grã-Bretanha. Com a boa estreia em 2019 - o resultado garantiu qualificação para o Pan-Americano de Lima, cujo índice é de 16,50 m, e para o Mundial de Doha (16,95 m), o saltador da Sogipa-RS tem nada menos do que 42 convites para competir no exterior, a partir de abril, entre etapas da Liga Diamante, Word Challenge e outros meetings internacionais.

"Vamos escolher as competições que se encaixarem no meu programa de treinamento", disse o atleta de 25 anos, em visita ao Centro Nacional de Desenvolvimento do Atletismo (CNDA), da CBAt, na cidade de Bragança Paulista (SP). "Isso vai ser decidido pelo meu treinador com a minha agente na Europa", prosseguiu, referindo-se a José Haroldo Loureiro Gomes, o Arataca, e a Chiara Davini.

Almir voltou ao Brasil na terça-feira (20/2), depois de uma verdadeira maratona. Teve seu voo inicial de Cleeveland cancelado por causa das condições climáticas na cidade. Com 12 horas de atraso, teve de pegar outro voo via Orlando, Cidade do Panamá até chegar ao Aeroporto Internacional de Guarulhos. Isso sem contar o frio de -9 graus que teve de pegar do Aeroporto de Cleeveland até o hotel fornecido pela Cia Aérea.

Para quem desistiu de dois torneios nos Estados Unidos por causa da gripe e da febre, foi mais uma tortura, apesar dos casacos e do ar condicionado dos aviões. "Mas o importante é que atingi todos os objetivos no camping, que foi treinar com o técnico Michael Schober, especialista em saltos horizontais, aproveitar a bela infra-estrutura da universidade, conseguir o meu melhor resultado pessoal em pista coberta e mostrar consistência nos saltos", afirmou Almir, que ganhou 10 dias de descanso em Porto Alegre. "Agora é sarar da gripe e recomeçar os treinos para as provas ao ar livre. Este ano, a temporada será bem longa e precisa ser bem planejada. Os grandes objetivos são o Pan-Americano e o Mundial", completou.

O técnico José Haroldo Arataca conversou bastante com Almir no CNDA e ficou feliz com a experiência positiva de seu atleta no camping. "Ele vinha treinando muito bem na Sogipa e sabia que podia conseguir boa marca. Ele tinha 17,41 m, como melhor resultado, e agora tem 17,46 m. Ele conseguiu ainda uma série muito boa de saltos dentro da prova, com 17,30 m, 17,46 m, 16,96 m e 17,26 m", lembrou.

Quanto às futuras competições, Arataca ficou de conversar com o seu assistente Fabricio Romero. "O salto triplo é uma prova extremamente exigente do ponto de vista físico e é necessária uma recuperação entre um meeting e outro. Por isso, as competições têm de ser muito bem escolhidas", disse Arataca.

Foto: CBAt

Postar um comentário

Copyright © Surto Olimpico. Designed by OddThemes