Malásia permanece desafiando o IPC mesmo tendo perdido o direito de sediar o mundial de natação

O governo da Malásia permaneceu desafiador, apesar de perder o direito de sediar o Campeonato Mundial de Natação Paralímpica após proibir os israelenses de competirem no evento, uma competição de qualificação para os Jogos Paralímpicos de Tóquio de 2020.

O primeiro-ministro da Malásia, Mahathir Mohamad, não se desculpou.

“Nós defendemos nosso princípio, que é que Israel é uma nação criminosa. Ele está quebrando a lei internacional sem ninguém dizer nada ”, disse ele na segunda-feira. "Temos o direito de expressar nossos sentimentos e ter nossas próprias políticas."

O ministro do Esporte, Syed Saddiq Syed Abdul Rahman, disse que a Malásia não comprometerá sua decisão "com base na humanidade e na compaixão pela situação palestina".

A proibição levou o Comitê Paralímpico Internacional a retirar os direitos de sediamento da Malásia no domingo. O evento envolve cerca de 70 países e será realizado de 29 de julho a 4 de agosto.

O governo disse no início deste mês que nenhum delegado israelense pode entrar na Malásia por eventos esportivos ou outros eventos em solidariedade aos palestinos.

Um país principalmente muçulmano, a Malásia é um forte defensor da causa palestina e não tem relações diplomáticas com Israel.

Foto; Divulgação




Postar um comentário

Copyright © Surto Olimpico. Designed by OddThemes