Bellucci e Rogerinho vencem e tentam titulo de duplas no Rio Open de Tênis; NextGen canadense está na semifinal


O Brasil garantiu uma dupla 100% da casa na final do Rio Open de Tênis. Com a quadra 1 lotada, Thomaz Bellucci e Rogério Dutra Silva venceram o tcheco Roman Jebavy e o argentino Andres Molteni, na sexta-feira (22), no Jockey Club Brasileiro, por 2 sets a 0, com parciais de 6/4 e 7/6 (3). A final será neste sábado (23), contra o argentino Maximo Gonzalez e o chileno Nicolas Jarry.

O Brasil teve apenas um tenista disputando final no Rio Open. Marcelo Melo jogou a decisão de duplas  de 2014, mas ele e o espanhol David Marrero perderam. "Estamos muito felizes de estar na final. É um ATP 500, um torneio importante para o tênis brasileiro, e o público quer ver jogadores da casa na decisão", disse Rogerinho. "Temos poucas oportunidades de jogar em casa, então essa final nos motiva ainda mais. A quadra fica cheia, o apoio da torcida ajuda muito, fica um clima de Copa Davis", acrescentou Bellucci.

A última vez que Bellucci e Rogerinho jogaram juntos foi em Wimbledon-2017. Os dois disputaram o qualifying do Rio Open em simples e entraram na chave de duplas com convite da organização. Na semifinal, surpreenderam Melo e Bruno Soares, dupla cabeça-de-chave número 1. "Recebemos o convite de última hora e está dando certo. Estamos entrosados, o jogo encaixou e a cada partida nossa confiança aumenta", disse Rogerinho.

Bellucci tem um título de duplas na carreira, conquistado em 2013, em Stuttgart, com o argentino Facundo Bagnis. Rogerinho foi campeão do Brasil Open em 2017, ao lado de André Sá.

Os rivais da final, Gonzalez e Jarry, eliminaram os colombianos Juan Sebastian Cabal e Robert Farah, cabeças de chave número 2, por 3/6, 7/5 e 10/7.


Jarry foi semifinalista em simples do Rio Open no ano passado. Tem um título de duplas na carreira, conquistado no ano passado, em Quito, com o chileno Hans Podlipnik-Castillo. Já Gonzalez foi campeão cinco vezes nas duplas. Também chegam com moral na final ao eliminar Cabal e Farah, eleitos segunda melhor parceria de 2018 e duas vezes campeões no Rio - em 2014 e 2016.

Definidas as semifinais de simples
Também foram conhecidas as semifinais do torneio de simples do Rio Open. O sérvio Laslo Djere, responsável por eliminar o austríaco Dominic Thiem, enfrentará o esloveno Aljaz Bedene em uma das semifinais do Rio Open, neste sábado, às 17h.

Djere eliminou o norueguês Casper Ruud por 6/4 e 7/5. Aos 23 anos, Djere disputa o Rio Open pela primeira vez. Bedene derrotou nesta sexta o boliviano Hugo Dellien por 4/6, 6/2 e 6/3. O esloveno é o 83º do ranking e tinha alcançado as quartas no Rio Open no ano passado. "Estar na semifinal de qualquer torneio é muito bom. Estou jogando bem e espero dar o máximo em quadra amanhã. Se vier a vitória, melhor ainda".

Na outra semifinal, o canadense Felix Auger-Aliassime, uma das grandes promessas do circuito, enfrenta o experiente uruguaio Pablo Cuevas, campeão da edição 2016, neste sábado, no segundo jogo da rodada que começa às 17h, no Jockey Club Brasileiro. O jovem de 18 anos busca alcançar sua primeira final da carreira em um torneio nível ATP.

Auger-Aliassime venceu o espanhol Jaume Munar por 2 sets a 0, com parciais de 6/4 e 6/3, no duelo entre dois tenistas Next Gen da ATP. Já Cuevas derrotou o espanhol Albert Ramos-Vinolas por 6/3, 3/6 e 6/3. Será a primeira semifinal de um torneio ATP 500 do canadense. O uruguaio soma seis títulos na carreira, sendo o maior deles no Rio.

O tenista do Canadá, de 18 anos, coleciona alguns feitos na carreira. Foi o mais jovem - 14 anos e sete meses - a passar o qualifying e vencer uma partida de torneio nível Challenger, e soma quatro títulos de campeonatos deste nível, marca similar a nomes como do sérvio Novak Djokovic com essa idade. Simpático, Auger-Aliassime diz que desde cedo aprendeu a lidar com as expectativas depositadas nele. "Nunca me senti um prodígio, acho que sou alguém que é bom no que faz. Sempre trabalhei muito e acreditei no meu jogo".

O público do Rio Open tem torcido por ele. "A cada vitória aqui, mais pessoas me procuram, vêm falar comigo. Estou muito feliz com isso, é uma sensação boa na quadra ver todos me apoiando. Estou usando isso nas partidas, e quero ir o mais longe possível".

A vitória sobre Munar foi a primeira de Auger-Aliassime em três confrontos entre os dois. O espanhol de 21 anos também faz parte da lista de jovens jogadores que são apostas da ATP para o futuro.


Cuevas, de 33 anos, conquistou a sétima vitória em oito jogos contra Ramos-Vinolas, mas acha que precisa melhorar para enfrentar a sensação do torneio. "Foi um jogo difícil, alternei bons e maus momentos, cometendo muitos erros. Para a partida contra Auger-Aliassime, que é um jogador bem completo, com bons recursos, preciso ser mais consistente, disse o 63º do ranking.

Foto: Fotojump

Postar um comentário

Copyright © Surto Olimpico. Designed by OddThemes