Treinador de patinação artística norte-americano é preso por assédio sexual de menor

O técnico Andrew Lavrik,  32 anos, do Centro de Treinamento de Patinação Artística da Ice House de Hackensack, Nova Jersey (EUA), foi preso, acusado de assediar sexualmente uma menor de idade, segundo informações do gabinete do procurador do condado de Bergen. 


A polícia do bairro de Edgewater relatou que recebeu em 10 de Dezembro uma acusação anônima de que o técnico teria se "engajado em condutas inapropriadas com uma menor de idade" nas vizinhanças durante o mês de novembro e iniciou investigações juntamente com a Unidade de Vítimas Especiais da Procuradoria de Bergen. Lavrik foi detido na quinta-feira, dia 3. O técnico ucraniano radicado nos EUA, que atuou como atleta de Dança no Gelo no começo dos anos 2000 representando o México ao lado da estadunidense Coreene Bruhns, responde também à acusações de por em risco a segurança de crianças e permanece preso, aguardando audiência de custódia.



Robert Bakos, gerente geral da Ice House de Hackensack, que abriga o espaço dedicado à Patinação Artística, declarou que Lavrik, que atuava na casa há sete anos, não era funcionário do clube, utilizava as dependências da Ice House por meio de contrato independente e se encontra no momento afastado das funções: "Desde sua prisão, Andrew Lavrik não tem mais autorização para utilizar qualquer destas dependências. Suspendemos seus direitos como técnico na Ice House". Até o encerramento desta matéria, no entanto, o nome de Andrew Lavrik se encontrava nas listas oficiais da Ice House de Hackensack, como técnico de Dança no Gelo e Patinação Sincronizada, bem como coreógrafo.



Não é, no entanto a primeira vez que a Ice House de Hackensack—um dos centros de treinamento de Patinação Artística mais renomados dos EUA, responsável pelo treinamento dos medalhistas olímpicos Sarah Hughes, ouro em Salt Lake Ciy-2002 e Daisuke Takahashi, bronze em Vancouver-2010—é ligada à acusações de assédios e práticas abusivas de diversos tipos. Em sua autobiografia e em uma entrevista para a TV espanhola, o bicampeão mundial Javier Fernández, medalhista de bronze das Olimpíadas de PyeongChang-2018 relatou que sofreu tortura durante treinamentos com o técnico russo Nikolai Morozov dentro da Ice House de Hackensack. 



Fernández relatou que aos 17 anos e recém-chegado aos EUA, foi forçado por Morozov a patinar com os braços amarrados a um caibro de madeira em posição de crucificação que acarretava quedas e ferimentos, prática que segundo o patinador espanhol não causou qualquer estranheza em seus companheiros de treino. Na mesma época, na Ice House de Hackensack além de Fernández Morozov treinava também o brasileiro naturalizado francês Florent Amodio, campeão europeu de 2011 e a bicampeã mundial Miki Ando, do Japão, dentre outros estudantes.



O patinador espanhol disse também ter sido por várias vezes sujeito a outros tipos de agressões físicas e psicológicas feitas por Morozov que acarretaram sequelas graves como depressão, ansiedade e síndrome de pânico e levaram sua carreira a quase um encerramento precoce. Fernández  deixou o centro de treinamento da Ice House de Hackensack e o técnico Nikolai Morozov em 2011, indo para o Toronto Cricket Skating and Curling Club (TCSCC), no Canadá, onde sob a tutela de Brian Orser e Tracy Wilson teve a carreira revitalizada conquistando seus dois títulos mundiais, a medalha de bronze olímpica e seis títulos europeus. Javier Fernández encontra-se neste momento em Toronto, realizando treinos no TCSCC e aos 27 anos deve encerrar a carreira competitiva no Campeonato Europeu no dia 26 deste mês, onde disputa o sétimo título consecutivo do torneio.



Foto: Departamento de Polícia de Edgewater/Google





Postar um comentário

Copyright © Surto Olimpico. Designed by OddThemes