Novo estudo independente confirma que o Rio 2016 proporcionou benefícios econômicos significativos para a cidade

Um estudo recente do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA) concluiu que os Jogos Olímpicos Rio/2016 tiveram impactos econômicos positivos tanto na cidade do Rio de Janeiro quanto em toda a região metropolitana.

A pesquisa descobriu que, sem os Jogos, o Produto Interno Bruto (PIB) per capita da cidade teria sido 7,5% menor (em média R$ 3.700 por pessoa por ano) no período que antecedeu o evento (2012 a 2015) - e 5,1% mais baixo (em média, menos R$ 1.900 por pessoa por ano) na Grande Rio.

O Rio 2016 ajudou a mitigar as conseqüências do que se tornaria a pior recessão do Brasil já registrada para a cidade anfitriã e região dos Jogos.

Segundo o estudo, foi possível demonstrar que “em um cenário macroeconômico nacional de crise intensa, os Jogos atrasaram e atenuaram os efeitos dessa crise no PIB per capita do Rio. Nossos resultados apontam para um efeito positivo e crescente de considerável magnitude ao longo de todo o período ”.

O novo documento confirma as conclusões de pesquisas anteriores no Brasil que atestaram os benefícios econômicos dos Jogos no Rio de Janeiro. Uma pesquisa realizada pelo Centro de Políticas Sociais da Fundação Getulio Vargas - em 2016 - mostrou que a base da pirâmide social no Rio se beneficiou principalmente do aumento da renda do trabalho no período pré-olímpico.

A renda dos 5% mais pobres cresceu 29,3%, comparada com 19,96% para os 5% mais ricos. A criação de empregos representou 82% do crescimento econômico local. 
Outro estudo do IPEA publicado em 2017 já vinculava a preparação e entrega dos Jogos à crescente atividade econômica. Constatou que a porcentagem da população sem ocupação remunerada no Rio caiu de 8,1 no início de 2012 para 4,2 no meio de 2015, enquanto passou de 7,9 para 8,3 em todo o país, à medida que os efeitos da recessão começaram a ser sentidos.

Foto: Getty Images

Postar um comentário

Copyright © Surto Olimpico. Designed by OddThemes