Casa de atleta norte-americana é roubada e meia velha salva medalha olímpica

Jóias, armas e dinheiro foram roubados da casa da snowboarder olímpica Rosey Fletcher-Grunwaldt  (USA) na última semana. O assalto despojou a família de jóias, armas, dinheiro e lembranças preciosas.

Porém, dentro de um armário no quarto de Fletcher-Grunwaldt, na parte de trás, havia uma velha meia de lã. Quase tudo o mais no móvel, incluindo jóias, havia sido roubado. Tudo, exceto uma velha meia cinza e um velho cartão de aniversário.

No interior da meia estava a medalha de bronze de Fletcher-Grunwaldt dos Jogos Olímpicos de Inverno de 2006 em Turim, na Itália.


"Eles levaram tudo na prateleira, mas a medalha na meia de lã", disse Fletcher-Grunwaldt na sexta-feira. “É apenas uma meia velha de lã. Eu nem acho que eles olham para isso. Talvez tenham a achado muito velha para roubar."

Entre os muitos itens roubados estavam os três anéis olímpicos de Fletcher-Grunwaldt - um dos Jogos Olímpicos de Nagano em 1998, os Jogos Olímpicos de 2002 em Salt Lake City e os Jogos Olímpicos de Turim em 2006.

Eles são de ouro 18k e parecem anéis de classe, Fletcher-Grunwaldt disse. Com o símbolo olímpico de cinco anéis em um lado e uma imagem do esporte do atleta no outro. Os anéis são gravados com o nome do atleta, o ano e a localização das Olimpíadas. Devido Fletcher-Grunwaldt ter ganho uma medalha nos Jogos de 2006, seu anel de Turim tem pequenos diamantes.

A atleta imagina que quem quer que tenha pegado os anéis irá jogá-los: "seria óbvio para qualquer comprador em potencial que eles são roubados".

Fletcher-Grunwaldt, 43, disse que ninguém estava em casa quando o assaltante usou um pé de cabra para quebrar uma janela da garagem para entrar na casa.

Seu marido, Peter Grunwaldt, chegou em casa naquela tarde com Olga de 6 anos de idade para encontrar a casa de cabeça para baixo. Fletcher-Grundwaldt afirmou que o cenário parecia que houve um terremoto em sua casa.

"A medalha foi a segunda coisa em que pensei", disse Fletcher-Grunwaldt, "porque eu havia tirado meu anel de casamento e colocado no parapeito da janela. Eu sabia que Peter ficaria louco porque odeia quando eu faço isso".

O anel de casamento ainda estava lá. Mas seu alívio foi temporário, porque seu próximo pensamento foi a medalha.

"Então eu subi as escadas, e você só se prepara. Estava segurando minha respiração e apenas pensando sobre essa jornada de medalhas e todas as pessoas que a tocaram e tiveram lembranças dela e criaram sonhos dentro de si por causa disso”.

Fletcher-Grunwaldt ganhou a medalha no slalom gigante paralelo. Foi sua terceira participação em Olimpíadas e a primeira vez que não saiu de coração partido. Um piloto de renome com medalhas de campeonatos mundiais, corridas da copa do mundo e campeonatos nacionais, Fletcher-Grunwaldt figurava como uma das favoritas nas olimpíadas de 1998 e 2002. Entretanto, quedas adiaram seu sonho por uma medalha olímpica. 

Em Turim, 2006, sua última temporada da carreira, quando não era a grande favorita, consegui o tão desejado resultado e voltou ao Alasca com uma medalha de bronze.

A medalha não veio com uma caixa ou qualquer coisa para armazená-la. Então, a atleta a colocou dentro de uma meia que costumava usar durante as competições e o objeto foi o grande salvador e, agora, é a meia favorita da família, que está bem e segura.

Foto: Divulgação


Postar um comentário

Copyright © Surto Olimpico. Designed by OddThemes