Nova Geração do Atletismo (parte 7): Rhonex Kipruto - 10.000 metros

A IAAF tem promovido uma série selecionando atletas que prometem ser grandes estrelas no futuro, de olho, principalmente, no Mundial de Atletismo em Doha (2019) e na Olimpíada de Tóquio (2020). A serie continua voltando os olhos ao excelente Rhonex Kipruto, de apenas 19 anos, especialista queniano dos 10.000 metros. 

Poucos corredores de longa distância se destacam e demonstram tamanha concentração nas corridas, principalmente nos anos iniciais de suas carreiras. Contudo, Rhonex Kipruto não é um corredor qualquer de longa distância.

O queniano ainda era praticamente desconhecido até fevereiro de 2017, quando, com 17 anos, disputou a Rift Cross Country Championships, em Mosoriot, e ficou em terceiro na categoria sub/20, terminando a apenas 11 segundos do campeão mundial sub/18, Richard Yator. Nesse ano, acabou perdendo a vaga na equipe que foi para o Campeonato Mundial de Cross Country organizado pela IAAF.

A derrota fez o queniano voltar sua atenção para a pista e ele marcou 28m56s50 em sua estreia na distância de 10.000m, iniciando uma série de vitórias em solo queniano. 

No entanto, foi mesmo nas estradas que ele causou seu primeiro grande impacto no mundo do atletismo. O Birell Grand Prix de 2017, uma corrida de 10km promovida na cidade de Praga, foi o primeiro evento internacional do Kipruto. O atleta terminou três segundos atrás do vencedor, com seu tempo de 27m13s. Seu tempo, aliás, não foi o mais rápido entre atletas sub/20, devido seu compatriota Mathew Kimeli, à época também sub/20, terminar dois segundos a sua frente.

Kipruto não se abalou. A sua temporada de 2018 começou com uma breve campanha de cross-country, durante a qual ganhou o título africano Sub/20 da modalidade, em Chlef, terminando com uma vantagem confortável sobre seus adversários. 

Seis semanas depois, ganhou mais uma competição de expressão, o Healthy Kidney (10.000 metros), em Nova York. Seu tempo, 27s08, foi o mais rápido de todos os tempos por um atleta sub/20 e conseguiu o quinto lugar na lista dos melhores tempos da história. Seus primeiros 8km (21:45) também foram o tempo mais rápido já registrado para essa distância.

Kipruto fez uma breve pausa nas estradas durante o meio do ano para se concentrar na pista. Ele fez mais do que o suficiente para reservar seu lugar na equipe queniana para o Campeonato Mundial Sub/20 da IAAF, em Tampere 2018, vencendo a corrida nacional com 27m49s06.

O jovem sabia que a corrida em Tampere não seria nada fácil, já que enfrentaria o campeão mundial de cross country sub/20, Jacob Kiplimo, de Uganda. De fato, nos primeiros seis quilômetros o queniano se manteve próximo a Kiplimo, porém, depois disso, o ugandês decolou e abriu distância, vencendo com um recorde de 27m21s08.

Dois meses depois, demonstrando ainda maior gana, Kipruto retornou ao cenário de sua primeira corrida fora do Quênia, o Birell Grand Prix. O queniano marcou 26m46s para registrar o segundo tempo mais rápido nos 10km em todos os tempos. Seu tempo ficou apenas dois segundos abaixo do recorde mundial de Leonard Patrick Komon. Essa foi apenas a terceira corrida de Kipruto na distância. 

Seus preparativos para 2019, seu primeiro ano no sênior, já estão em andamento e ele recentemente venceu duas corridas domésticas de cross country no Quênia. Ele sem dúvida começará como um dos favoritos não apenas para o Campeonato Mundial de Cross Country da IAAF, em Aarhus 2019, mas também para o Campeonato Mundial de Atletismo da IAAF em Doha, 2019.

Não esquecendo, é claro, que ele pode fazer algumas aparições nas estradas entre esses dois grandes campeonatos. O mundo estará de olhos bem abertos para o queniano.


Foto: Getty Images


Postar um comentário

Copyright © Surto Olimpico. Designed by OddThemes