FINA aprova uso de árbitro de vídeo e tecnologia da linha do gol para o polo aquático


A Federação Internacional de Natação (FINA) votou pela introdução de um sistema de arbitragem em vídeo para o pólo aquático para identificar e sancionar incidentes de brutalidade e violência extrema que, de outra forma, passariam despercebidos.

A mudança é uma das várias que foram aprovadas por uma votação de 161 a seis no Congresso Extraordinário em Hangzhou antes do início do Campeonato Mundial de Natação em Piscina Curta na cidade chinesa.

Também foi acordado que a tecnologia da linha do gol será introduzida quando disponível, com o presidente da FINA, Julio Maglione, dizendo que a mudança é necessária para melhorar o esporte e ajudá-lo a acompanhar o que é oferecido em outros lugares.

"Com o seu apoio, certamente teremos sucesso em melhorar as atividades de pólo aquático em todas as nossas federações nacionais, tornando este jogo uma atração maior para as crianças e jovens que querem jogar este jogo nos cinco continentes", disse ele aos delegados no Congresso.

Maglione acrescentou que muitas das mudanças foram propostas após uma séria reflexão sobre o jogo.

"Enquanto isso, algumas mudanças foram feitas, mas precisávamos, com a contribuição da comunidade de pólo aquático, fazer mais para alinhar essa disciplina com o que é oferecido atualmente em um ambiente internacional de esporte muito competitivo", disse ele.

Não é incomum no polo aquático que as infrações passem despercebidas, pois ocorrem sob a superfície da água, onde os árbitros acham difícil ver o que está acontecendo. Em entrevista ao New York Times em 2016, a atleta olímpica Natalie Benson disse que incidentes como chutes, garras e lutas geralmente ficam impunes.

Acredita-se que o novo sistema de árbitro de vídeo ajudará a eliminar esses incidentes. Todas as 12 novas regras foram aprovadas pelo Congresso, incluindo o uso de equipamentos de áudio pelos árbitros.

Foto: Divulgação


Postar um comentário

Copyright © Surto Olimpico. Designed by OddThemes