Embaixador russo na Áustria diz que nenhuma evidência de doping por parte de atletas russos foi mostrada

O embaixador russo na Áustria disse que nenhuma prova de doping por parte de biatletas russos foi fornecida durante uma reunião com promotores austríacos, com a União Internacional de Biatlo (IBU) dizendo que não tomará nenhuma medida "neste momento".

Dmitry Lyubinsky se reuniu com autoridades em Viena após o anúncio de quinta-feira (13 de dezembro) de que cinco biatletas russos e cinco oficiais da equipe estão sob investigação por supostas violações de regras antidoping relacionadas ao Campeonato Mundial do ano passado em Hochfilzen.

Autoridades austríacas disseram que as investigações são "baseadas em fraudes relacionadas à dopagem", bem como alegado "uso de substâncias proibidas e / ou métodos para fins de doping" pelos cinco membros da equipe.

O doping é uma ofensa criminal na Áustria e os 5 atletas estão sob investigaçaõ, Anton Shipulin e Alexey Volkov, além do medalhista olímpico de bronze Evgeny Garanichev, medalhista de bronze Alexander Loginov e da campeã européia Irina Starykh.

No entanto, após a reunião, Lyubinsky disse à agência de notícias estatal russa TASS que "nenhuma evidência foi fornecida para provar que nossos atletas são culpados".

"A presunção de inocência está em vigor", acrescentou uma declaração da embaixada russa.

"Não há restrições para a liberdade de movimentos da equipe."

O IBU também disse que não recebeu nenhuma informação de promotores austríacos.

"O Conselho Executivo da IBU discutiu a notificação dada pelas autoridades austríacas a respeito de sua investigação sobre a equipe russa de biatlo esta semana", disseram hoje.

"O Conselho Executivo vê que nenhuma ação é garantida neste momento.

"Em parte, isso ocorre porque as autoridades austríacas não forneceram nenhuma informação adicional ao IBU sobre as investigações em andamento além do que foi publicado."

"O IBU continua focado em trabalhar com a atual liderança da União de Biathlon da Rússia (RBU) no cumprimento de critérios que garantirão que o RBU tenha um programa antidoping mais robusto."

Os biatletas sob investigação foram entrevistados pela polícia na quarta-feira (12 de dezembro), enquanto no país rolou a etapa da Copa do Mundo em Hochfilzen.

No dia seguinte, Loginov postou no Instagram dizendo que a polícia os acusou de "esquemas fraudulentos", incluindo transfusões de sangue.

Nenhum dos biatletas foram presos, no entanto, com a RBU dizendo que eles continuarão a competir no Circuito da Copa do Mundo.

A ação é considerada uma continuação da investigação mais ampla que ocorre no IBU, que começou em abril.

Promotores austríacos iniciaram uma investigação sobre possíveis doping, fraude e corrupção, com a suposta irregularidade alegando ter coberto um período de 2012 até o Campeonato Mundial de 2017 em Hochfilzen.

A investigação fez com que a sede da IBU fosse invadida em abril, com base em uma denúncia da Agência Mundial Antidoping.

O caso levou o então presidente do IBU, Anders Besseberg, e a secretária-geral, Nicole Resch, a renunciar a seus cargos.

Ambos os funcionários são suspeitos de aceitar subornos de até US $ 300.000 e outros benefícios em troca de uma posição favorável em relação à Rússia, mas negam as irregularidades.

Foto: Getty Images

Postar um comentário

Copyright © Surto Olimpico. Designed by OddThemes