Ana Marcela Cunha vê Tóquio 2020 como última chance de medalha: "Não dá para esperar por outro ciclo olímpico"

Para muitos, a  nadadora de maratonas aquáticas Ana Marcela Cunha parece ser uma máquina. Aos 26 anos, ela conquistou pela quarta vez o título da Copa do mundo de Maratona Aquática e  foi eleita pelo COB - e pelos leitores do surto olímpico em votação - como a melhor atleta de 2018.  Mas a máquina que parece ser imparável, se vê com urgência para conquistar o que falta na sua coleção: uma medalha olímpica.

"Eu vou estar com 28 anos em 2020, não posso prever o futuro, mas esperar mais um ciclo olímpico para conquistar uma medalha em 2024... Vou estar com 32 anos , é muita idade, não sei conseguirei me manter até lá então tenho que focar muito para conquistar essa medalha para 2020. " disse Ana Marcela em entrevista ao surto olímpico.

E Ana Marcela classifica o ano de 2018 como muito bom, o que era esperado desde o início pelo o planejamento de sua comissão técnica. E destacou a importância do crescimento físico e técnico para 2019: "Não tivemos campeonato mundial, e na copa do mundo conseguimos fazer um bom resultado. 2018 foi muito importante para o nosso crescimento, pra gente que pensa em 2019, no campeonato mundial em busca da vaga olímpica, e creio que estamos no caminho certo para conquistarmos uma medalha em 2020."

E 2019 Ana Marcela tem uma obsessão de conquistar a vaga olímpica logo. Ela vai treinar na altitude em janeiro para chegar na seletiva olímpica no auge, data que ela tem gravada na mente:14 de julho : "A gente sabe que 14 de julho é o dia para gente. É a seletiva olímpica, onde temos que chegar entre as dez para garantir logo a classificação sem depender de resto do ano. E 2019 a gente vai começa o ano com tudo,em fevereiro a gente tem etapa da Copa do mundo e o ano segue com muitas competições até a seletiva olímpica."

Todos esses resultados e essa dominância que Ana Marcela tem no esporte causam expectativa nos torcedores, e ela também admite que também tem a mesma expectativa: A gente também cria essa expectativa, na verdade. Assim como a gente criou para 2016 e eu não tive o resultado que queria. A gente quer na olimpíada os mesmos resultados que a gente adquire durante o ciclo. E esses resultados que venho tendo não são à toa, eu e o Fernando (Possenti, técnico de ana Marcela e eleito melhor técnico de 2018) temos uma parceria 'animal', não tenho nem o que falar e acredito que a gente sabe exatamente o que tem que fazer."

Ana Marcela encerrou fazendo um comparativo com a Ana Marcela de anos anteriores: "Creio que bem diferente da Ana Marcela de 2008 que ficou em quinto e não tinha noção das coisas, da Ana Marcela que ficou de fora de 2012 e que aprendeu muito, da Ana Marcela de 2016 que não foi tão bem como esperava. A Ana Marcela de 2018/2019 é totalmente diferente, muito mais experiente, muito mais profissional e que pensa diferente, que quer chegar na olimpíada de 2020 e quer a medalha olímpica ainda mais do que qualquer outra."


foto: Alexandre Loureiro/ Exemplus/ COB

Postar um comentário

Copyright © Surto Olimpico. Designed by OddThemes