Organizadores da Copa Davis se dispõem a promover um torneio unificado com a ATP

Os organizadores da Copa Davis estão abertos a se unirem à ATP para realização de um torneio unificado, afirmou o diretor do evento, Albert Costa, enfatizando que a competição de 118 anos continuará sendo a principal competição internacional do tênis.

A renovada Copa Davis, liderada pelo grupo de investimento Kosmos, fundado pelo futebolista Gerard Piqué e organizada pela Federação Internacional de Tênis (ITF), começa em Madri, em novembro, com um evento de uma semana, semelhante a uma Copa do Mundo de tênis.

No entanto, espera-se uma forte concorrência com a nova ATP Cup, que deve ser lançada com um torneio de uma semana na Austrália, no início da temporada, em janeiro de 2020, apenas seis semanas depois da Copa Davis.

O vencedor do Aberto da França de 2002, Costa, ex-capitão da equipe da Copa Davis na Espanha, disse que não via motivo para a ATP, o órgão que rege os circuitos masculinos de tênis, não se tornar afiliado à Copa Davis no futuro.

“As grandes organizações estão em contato para fazer algo juntos no futuro, com equipes de homens e mulheres. Ainda seria a Copa Davis, com a participação da ATP, talvez até mesmo com pontos no ranking ”, disse Costa em entrevista exclusiva na semana passada.

“Ainda seria a Copa Davis, mas o ATP também poderia estar envolvido. Por que não? A ideia está aí", completou.

Na Copa da ATP, 24 nações se qualificarão com base no ranking de seu melhor jogador, que será o capitão. As equipes serão divididas em seis grupos, com oito emergentes para competir em uma fase eliminatória. As equipes terão de dois a cinco jogadores.

JOGADORES CÉTICOS E COMPETIÇÃO RENTÁVEL

A nova competição da ATP foi endossada por vários grandes jogadores, incluindo o número um do mundo, Novak Djokovic, e o vencedor da ATP Final, Alexander Zverev, que, juntamente com Roger Federer, são céticos sobre o enfraquecimento da Copa Davis.

A Copa ATP, além de US$ 15 milhões, também oferece 750 pontos no ranking, enquanto não há nenhum ponto em disputa na Copa Davis.

Mas Costa está convencido de que a reformulação em andamento na Copa Davis atraíra os tenistas. A nova competição da Copa Davis contará com 18 equipes e um prêmio em dinheiro de US$ 20 milhões.

“Tenho certeza, 100%, que a Copa Davis continuará sendo o torneio onde você representa seu país no tênis. A essência da Copa Davis é de bandeiras e cores ”, disse Costa.

A Copa Davis sofreu nos últimos anos porque muitos jogadores de alto escalão optaram por abandonar os três dias de competições durante a temporada.

No formato atual, 16 nações do Grupo Mundial participam de uma competição eliminatória ao longo de três finais de semana em fevereiro, abril e setembro, antes da final de novembro.

A última final do formato atual sagrou a Croácia como bicampeã mundial. 
NOVO FORMATO

Costa, vencedor da Copa Davis como jogador em 2000 e capitão em 2009 e 2011, disse que o novo formato, onde os jogos são melhores de três sets ao invés de cinco, agrada aos jogadores, e o calendário será mais brando.

“Quando eu era jogador e capitão, as pessoas continuavam pedindo mudanças, mas nada mudava. Então, Gerard Piqué veio com uma ideia fantástica, que fará a competição tão emocionante quanto antes. Será muito atraente para os espectadores e para a TV também", finalizou. 
Foto: as.com (Antonio Bronic)


Postar um comentário

Copyright © Surto Olimpico. Designed by OddThemes