Grand Slam de Judô - Etapa de Osaka: último dia.

O resultado do Brasil no Grand Slam de Osaka, no Japão, não foi tão bom quanto o esperado. Mesmo sabendo a dificuldade de lutar em solo nipônico contra os mais temidos judocas do mundo, ter, a seleção, saído sem nenhuma medalha da competição é, sim, um pouco decepcionante.

Ainda assim, o terceiro e último dia trouxe os melhores resultados para o país, com três disputas pela medalha de bronze, embora todas tenham acabado com derrotas. Os destaques deste domingo foram Beatriz Souza (+78kg), Rafael Macedo (90kg) e Rafael Buzacarini (100kg), que terminaram em quinto lugar, assim como Eric Takabatake (60kg), no primeiro dia de competição.

Eles somaram 360 pontos no Ranking Mundial, que será atualizado na segunda-feira e definirá os 16 melhores de cada categoria classificados para o World Masters de Gwangzhou, na China, nos dias 15 e 16 de dezembro. O campeão do Masters levará 1800 pontos no ranking e já começará a temporada 2019 com boa vantagem na corrida pela classificação olímpica rumo a Tóquio 2020.

MASCULINO

(-90kg)


Rafael Macedo foi o representante brasileiro na categoria e fez uma campanha justa. O judoca iniciou sua campanha a partir da segunda rodada e venceu Mattias Kuusik (EST). Na terceira rodada, nova vitória, agora contra Jesper Smink (NED), garantindo-se nas quartas de finais. Rafael, então enfrentou o japonês Shoichiro Mukai (JPN) e não teve forças para vencer o nipônico, indo para a repescagem.

No caminho para buscar o bronze, o primeiro adversário foi David Klammert (CZE) e o brasileiro o venceu. Na decisão pela medalha, Eduard Trippel (GER) venceu Rafael por ippon e subiu ao pódio.

O campeão do Grand Slam de Paris e algoz de Rafael Macedo nas quartas de final, MUKAI Shoichiro (JPN) venceu seu segundo Grand Slam da temporada depois de uma final emocionante contra Noel VAN T END (NED). As medalhas de bronze ficaram com Sanshiro Murao (JPN) e o alemão Eduard Trippel.

1. MUKAI, Shoichiro (JPN)
2. VAN T END, Noel (NED)
3. MURAO, Sanshiro (JPN)
3. TRIPPEL, Eduard (GER)
5. MARGIANI, Ushangi (GEO)
5. MACEDO, Rafael (BRA)
7. SILVA MORALES, Ivan Felipe (CUB)
7. KLAMMERT, David (CZE)

(-100kg)

Brasil também foi representado nesta categoria. O judoca Rafael Buzacarini iniciou sua trajetória na segunda rodada, enfrentando L. A. Smith III (USA), não sendo o americano páreo para o brasileiro. Na terceira rodada, um grande desafio. Buzacarini enfrentaria Varlam Liparteliani (GEO), prata nos Jogos do Rio/2016 e cinco vezes medalhista em mundiais, sendo o atual vice-campeão mundial.

O brasileiro conseguiu aplicar um waza-ari contra o georgiano, que não conseguiu reverter a pontuação. Nas quartas de final, o adversário da vez foi Joakim Dvarby (SUE) e o brasileiro venceu, classificando-se para as semifinais.

Foi então que Buzacarini enfrentou o japonês Aaron Wolf e foi derrotado, indo direto para as disputas do bronze. Na luta pela medalha, Jorge Fonseca (POR) sagrou-se vencedor e deixou o brasileiro na quinta colocação.

O algoz de Buzacarini nas semifinais, Aaron Wolf (JPN), ficou com o título do Grand Slam vencendo, na final, Shady Elnahas (CAN). As medalhas de bronze ficaram com Ilda Kentaro (JPN) e Jorge Fonseca (POR).

1. WOLF, Aaron (JPN)
2. ELNAHAS, Shady (CAN)
3. IIDA, Kentaro (JPN)
3. FONSECA, Jorge (POR)
5. DVARBY, Joakim (SWE)
5. BUZACARINI, Rafael (BRA)
7. ODBAATAR, Khangal (MGL)
7. KORREL, Michael (NED) 

(+100kg)

Na categoria mais pesada entre os homens, Rafael Silva foi o responsável por defender as cores verde e amarela. Porém, o brasileiro perdeu logo na primeira luta contra o alemão Sven Heinle, que terminaria a competição na 7ª colocação. Assim, certamente, o Brasil, momentaneamente, continuará sem representantes dos pesos pesados – a melhor categoria brasileira nos últimos anos - entre os classificados para Tóquio/2020. Ainda há muitas competições para se somar pontos, mas o sinal amarelo já esta ligado.

Henk Grol (NED) conquistou a medalha de ouro, vencendo, na final, ninguém menos que Lukas Krpalek (CZE), campeão olímpico na Rio/2016 e mundial em Chelyabinsk (ambos ainda na categoria -100kg). Completaram o pódio Kokoro Kageura (JPN) e Tamerlan Bashaev (RUS).

1. GROL, Henk (NED)
2. KRPALEK, Lukas (CZE)
3. KAGEURA, Kokoro (JPN)
3. BASHAEV, Tamerlan (RUS)
5. NAIDAN, Tuvshinbayar (MGL)
5. ULZIIBAYAR, Duurenbayar (MGL)
7. OJITANI, Takeshi (JPN)
7. HEINLE, Sven (GER)
FEMININO

(-78kg)
Sem brasileiras na disputa, a categoria rendeu mais medalhas para o japão. Ruika Sato (JPN) conquistou seu quinto Grand Slam. Mami Umeki ficou com a medalha de prata. Na luta pelo bronze, Kaliema Antomarchi (CUB) e Shori Hamada (JPN) saíram vitoriosas e garantiram as medalhas.

1. SATO, Ruika (JPN)
2. UMEKI, Mami (JPN)
3. ANTOMARCHI, Kaliema (CUB)
3. HAMADA, Shori (JPN)
5. CHALA, Vanessa (ECU)
5. MALZAHN, Luise (GER)
7. LEE, Jeongyun (KOR)
7. GRAF, Bernadette (AUT)

(+78kg)
A jovem brasileira Beatriz Souza subiu no tatame japonês e venceu o primeiro combate contra Gabriella Wood (TTO), já se classificando para as quartas. Na luta para seguir para as semifinais, a brasileira sofreu o revés para Akira Sone (JPN).

Na repescagem Beatriz Souza enfrentou primeiro Ivana Maranic (CRO) e venceu, qualificando-se à disputa do bronze. Porém, outra japonesa entrou no caminho da brasileira: Nani Inamori. E não deu chances à judoca do Brasil. 5º lugar.

A lenda viva Idalys Ortiz (CUB) repetiu o feito de Jéssica Klimkait (CAN) ontem e venceu três atletas japonesas para se sagrar campeã do Grand Slam de Osaka. A algoz de Bia, Akira Sone (JPN), ficou com a medalha de prata. As medalhas de bronze foram conquistadas por Nami Inamori e Sarah Asahina (JPN).

1. ORTIZ, Idalys (CUB)
2. SONE, Akira (JPN)
3. INAMORI, Nami (JPN)
3. ASAHINA, Sarah (JPN)
5. SOUZA, Beatriz (BRA)
5. CERIC, Larisa (BIH)
7. MARANIC, Ivana (CRO)
7. TSAI, Jia Wen (TPE) 
Foto: IJF

Postar um comentário

Copyright © Surto Olimpico. Designed by OddThemes