Grand Slam de Judô - Etapa de Osaka: Dia 01

No primeiro dia do tradicional Grand Slam japonês, excepcionalmente realizado em Osaka, em virtude da preparação de Tóquio para a Olimpíada em 2020, os anfitriões mostraram toda a sua força e abocanharam todas as medalhas de ouro. Fora isso, os nipônicos ainda garantiram outras duas medalhas de prata e quatro bronze. O Brasil passou em branco e chegou apenas a uma disputa por medalhas.

MASCULINO
(-60kg)

Nesta categoria o Brasil foi representado por dois judocas: Eric Tabatake e Phelipe Pelim. Pelim venceu duas lutas. A primeira contra W. Liu (CHN) e a segunda contra o búlgaro V. Alipiev, mas parou nas quartas diante do atleta da casa, o japonês R. Nagayama.

Tabatake também seguiu firme até às quartas. Venceu o holandês Tsjakadoea e, em seguida, o sul-coreano J. Kim. Contudo, havia um japonês no caminho. Yuma Oshima não deu chances ao brasileiro que, juntamente com Phelipe Pelim, foi para respescagem.

Na repescagem, os brasileiros se enfrentaram e Eric Tabatake venceu Phelipe Pelim. Essa luta foi bastante importante, devido a disputa direta pela vaga olímpica. Com a vitória, Tabatake lutou pelo bronze contra W. Kim, da Coreia do Sul e perdeu, ficando na quinta posição. Com os resultados, Eric deverá manter a dianteira na corrida interna pela vaga olímpica.

A medalha de ouro ficou com Nagayama após apenas 22 segundos de combate. O judoca japonês foi medalhista de bronze no mundial de Doha. Essa foi sua quinta medalha em Grand Slam. A prata ficou com o jovem russo Yago Abuladze, campeão europeu sub-23. O outro bronze também foi japonês: Yuma Oshima.

1. NAGAYAMA, Ryuju (JPN)
2. ABULADZE, Yago (RUS)
3. KIM, Won Jin (KOR)
3. OSHIMA, Yuma (JPN)
5. TAKABATAKE, Eric (BRA)
5. SHISHIME, Toru (JPN)
7. PELIM, Phelipe (BRA)
7. SMETOV, Yeldos (KAZ)

(-66kg)

Brasil não mandou atletas nesta categoria para o Japão. Os donos da casa, mais uma vez, dominaram a categoria. Joshiro Maruyama derrotou o bicampeão mundial e sete vezes campeão em Grand Slam Hifumi Abe (JPN), para ficar com o ouro. As medalhas de bronze foram para Aram Grigoryan (RUS) e Baskhuu Yondonperenlei (MGL).

1. MARUYAMA, Joshiro (JPN)
2. ABE, Hifumi (JPN)
3. GRIGORYAN, Aram (RUS)
3. YONDONPERENLEI, Baskhuu (MGL)
5. FUJISAKA, Taroh (JPN)
5. KHAMETOV, Islam (RUS)
7. SERIKZHANOV, Yerlan (KAZ)
7. MARGVELASHVILI, Vazha (GEO)

FEMININO

(-48kg)
Na categoria mais leve do judô feminino, Gabriela Chibana defendeu as cores brasileiras, mas não conseguiu ir tão longe. A judoca venceu a primeira luta contra Jun-Ying Gao (TPE), porém esbarrou na francesa Melanie Clement, não chegando até as disputas por medalha.

A medalhista de prata no mundial de Doha, Funa Tonaki, não deu chance às adversárias e conquistou o ouro em casa. A nipônica derrotou na final a ex-campeã mundial Urantsetseg Munkhbat (MGL). A vitória garantiu o segundo título de Grand Slam a Tonaki.

1. TONAKI, Funa (JPN)
2. MUNKHBAT, Urantsetseg (MGL)
3. ENDO, Hiromi (JPN)
3. KONDO, Ami (JPN)
5. CLEMENT, Melanie (FRA)
5. KANG, Yujeong (KOR)
7. SIDEROT, Maria (POR)
7. LEE, Hyekyeong (KOR)

(-52kg)
Jéssica Pereira representou o Brasil nesta categoria. A sucessora de Érika Miranda conseguiu vencer sua primeira luta contra a canadense Marie Besson, campeã pan-americana do Open de Santo Domingo. Porém, para a surpresa de ninguém, pegou uma japonesa das quartas e foi direto para a repescagem.

Para a infelicidade da brazuca, na primeira luta pela repescagem uma nova japonesa e uma nova derrota. A judoca ficou na sétima posição.

A campeã foi a recém-adulta Uta Abe (JPN/foto). A campeã mundial de 18 anos mostrou sua força e continuará dando trabalho aos adversários. Ela completou 33 lutas sem perder e garantiu a 7ª vitória nos últimos sete campeonatos que disputou. Nem podemos mais falar em promessa, Uta Abe é realidade.

A prata ficou com Natsumi Tsunoda (JPN) e os bronzes com Ai Shishime (JPN) e Amandine Buchard (FRA).

1. ABE, Uta (JPN)
2. TSUNODA, Natsumi (JPN)
3. SHISHIME, Ai (JPN)
3. BUCHARD, Amandine (FRA
5. MAEDA, Chishima (JPN)
5. PARK, Da Sol (KOR)
7. PEREIRA, Jessica (BRA)
7. LKHAGVASUREN, Sosorbaram (MGL)

Amanhã mais brasileiros sobem ao tatame e o Surto Olímpico ficará atento a tudo para contar todos os detalhes.

Foto: IJF

Postar um comentário

Copyright © Surto Olimpico. Designed by OddThemes