Kip Keino, lenda olímpica queniana do atletismo, tem acusações por corrupção retiradas e é solto da cadeia

O grande Kipchoge Keino, mais conhecido como Kip Keino, que estava preso acusado de corrupção e abuso de poder na última quinta (18) teve as acusações retiradas e já foi solto pela justiça queniana.

Em entrevista a Associated Press, Keino disse que ele ainda precisa comparecer ao tribunal na terça-feira - com especulações de que agora ele pode ser uma testemunha no caso - mas não enfrenta mais acusações de corrupção e abuso do cargo relacionadas ao suposto desvio de mais de US $ 545.000 na época das Olimpíadas do Rio de Janeiro de 2016.

"Eles deixaram cair as acusações contra mim", Keino disse à AP. Ele disse que "acabou de deixar o tribunal" em Nairobi, onde ele deveria ser acusado na sexta-feira. O bicampeão olímpico de 78 anos se entregou à polícia na quinta-feira.

Keino foi um dos sete oficiais olímpicos e governamentais quenianos inicialmente acusados ​​de corrupção e abuso de poder em documentos processuais divulgados no último final de semana. Ameaçou a reputação de uma das figuras mais respeitadas do atletismo.

Os outros seis, incluindo o ex-ministro do Esporte do Quênia e o atual secretário-geral do comitê olímpico do país, foram acusados ​​e enfrentam julgamento no próximo mês. As denúncias de corrupção atingem os níveis superiores do governo queniano, com acusações de figuras políticas de alto escalão.

Keino foi acusado de desvio e apropriação indébita de mais de meio milhão de dólares antes e durante os Jogos do Rio. Keino foi presidente do comitê olímpico queniano de 1999 até o ano passado.

Os promotores disseram que Keino supervisionou uma expedição olímpica queniana para o Rio, onde mais de US $ 300 mil foram desperdiçados, alguns gastos em passeios turísticos e com familiares de funcionários que não tinham nada a ver com a equipe, mas receberam passagens aéreas e dezenas de milhares de dólares.  Mais de US $ 200.000 simplesmente desapareceram e foram desviados, dizem os promotores.

Três ex-funcionários do Ministério do Esporte, incluindo o ex-ministro do esporte Hassan Wario , foram acusados ​​de corrupção e abuso de cargo na sexta-feira. Eles negaram as acusações e foram liberados com uma fiança em dinheiro de US $ 10.000 cada. Os outros três foram acusados ​​segunda-feira.

Wario é agora o embaixador do Quênia na Áustria, enquanto outro réu, seu ex-colega de ministério do esporte, Richard Ekai , foi recentemente nomeado embaixador na Rússia. Ekai solicitou seu passaporte na segunda-feira para apresentar suas credenciais diplomáticas na Rússia. Ele foi negado.

Wario, membro do gabinete do presidente do Quênia, Uhuru Kenyatta , na época das supostas ofensas, também teve o seu pedido negado  para ter seu passaporte liberado para que ele pudesse continuar seu trabalho na Áustria pelo tribunal.

O juiz disse que o julgamento começará no próximo mês. John Kariuki , chefe da Diretoria de Investigações Criminais da polícia queniana, disse que eles estavam "revisando" a possibilidade de Keino se tornar uma testemunha.

Em uma das acusações iniciais contra ele, os promotores dizem que Keino deu ao seu filho quase US $ 25 mil e o incluiu na delegação oficial do Rio no Quênia. Keino, um ex-policial, foi o precursor de gerações de campeões quenianos de meia e longa distância, quando conquistou o ouro nos 1500m nas Olimpíadas de 1968 na Cidade do México. Ele quebrou o recorde olímpico, apesar de lutar com a doença nos dias antes da corrida.

Ele também foi o campeão olímpico, quatro anos depois, em Munique, nos 3000 m com obstáculos. Suas performances inspiraram incontáveis ​​campeões quenianos e sua reputação foi reforçada por seu trabalho humanitário em seu país de origem, onde construiu escolas e uma casa para órfãos. Ele é provavelmente o esportista mais respeitado do Quênia, amado por seu sucesso, mas também por suas origens humildes - pobres e órfãs em tenra idade - que ressoam com tantos, não apenas os esperançosos de longa distância.

Por causa desse trabalho humanitário, Keino foi o primeiro a receber o prêmio de Laurel Olímpico do Comitê Olímpico Internacional em 2016 e foi homenageado na Cerimônia de Abertura dos Jogos do Rio. Keino e o ex-presidente do COI, Jacques Rogge, são as únicas pessoas a receber o prêmio.

Foto: NBC Sports


Postar um comentário

Copyright © Surto Olimpico. Designed by OddThemes