John Isner aprova tie-break no set final em Wimbledon

Conhecido pelas maratonas dentro de quadra, o tenista norte-americano John Isner aprovou a nova regra do torneio londrino de Wimbledon, que a partir de 2019 irá adotar tie-break no set decisivo quando o placar chegar a 12-12.

Isner é o vencedor do jogo mais longo da história, quando derrotou o francês Nicolas Mahut por 70-68 no quinto set, em Wimbledon no ano de 2010. A partida durou 11 horas e 5 minutos e foi necessário 3 dias para ser concluída. Apenas o 5º set durou 8 horas e 11 minutos.

Além do recorde acima, o tenista de 33 anos também fez parte da segunda maior partida da história de Wimbledon, quando foi derrotado pelo sul-africano Kevin Anderson nas semifinais do torneio este ano, com 26-24 no 5º set. A partida durou 6 horas e 36 minutos.

Jogos como os protagonizados por Isner foram um dos motivos para a mudança de regra em Wimbledon, além de agilizar o andamento do torneio.

"Essa decisão é sensível, pois você pega gente que gosta da vantagem e gente que prefere os tiebreaks. É uma tradição radical, mas muitas pessoas acreditam que não seja uma coisa ruim", disse Isner em entrevista a rádio BBC 5.

O tenista número 10 do mundo também fez piada com o fato de a nova regra ser criada por causa de seus jogos. "Quando chegar nesse momento da partida, eles deviam dizer que irão jogar a regra do Isner", brincou.

Wimbledon seguirá o Us Open, que aplica tie break no set decisivo quando o placar chega a 6-6. Os torneios de Roland Garros e Australian Open, próximo grand slam do calendário tenístico, continuam com set final sem tie-break.

Foto: AELTC/Ben Solomon

                                 


Postar um comentário

Copyright © Surto Olimpico. Designed by OddThemes