COB avalia como positiva a participação brasileira nos Jogos Olímpicos da Juventude

A terceira edição dos Jogos Olímpicos da Juventude chegou ao fim nesta quinta-feira, dia 18, em Buenos Aires, na Argentina. Com a medalha de ouro conquistada pela equipe masculina de futsal no último dia de disputas, o Time Brasil encerrou a competição com um total de 15 medalhas (duas de ouro, quatro de prata e nove de bronze - sendo duas com equipes multinacionais) em nove modalidades diferentes. 

Para o Comitê Olímpico do Brasil (COB) a avaliação é positiva. O resultado do país é o mesmo, em número de pódios, da última edição do evento, em Nanquim 2014. Em Cingapura 2010, o Brasil conquistou sete medalhas. Os Jogos Olímpicos da Juventude não possuem um quadro oficial de medalhas. 

“Estamos satisfeitos com os resultados apresentados pelos atletas brasileiros em Buenos Aires. Ainda há muito trabalho a ser feito com esses jovens, mas as 15 medalhas conquistadas em nove diferentes modalidades demonstram que temos uma geração promissora para os próximos anos. Além dos resultados esportivos, o mais importante foi proporcionar a primeira experiência olímpica a eles. Temos certeza que vivenciaram momentos inesquecíveis e que seguirão ainda mais motivados a continuarem se dedicando ao máximo à carreira esportiva”, afirmou Sebástian Pereira, chefe da missão brasileira em Buenos Aires e gerente executivo de Alto Rendimento do COB. 

Para o COB, os Jogos Olímpicos da Juventude possuem uma importância estratégica fundamental para a detecção de talentos para o esporte nacional. Muitos atletas que brilharam nos Jogos Olímpicos Rio 2016 passaram pelos Jogos Olímpicos da Juventude, entre eles Thiago Braz, Isaquias Queiroz, Felipe Wu, Arthur Nory, Flávia Saraiva e Hugo Calderano, entre outros. “Muitos atletas apresentaram excelente desempenho em Buenos Aires, mas sabemos que ainda são bastante jovens e precisam se desenvolver. Pode ser que alguns dos que estiveram aqui integrem o Time Brasil em Tóquio 2020, mas o foco principal desta geração são os Jogos de Paris 2024 e Los Angeles 2028. O COB passa agora a acompanha-los de perto e dará o suporte para o desenvolvimento destes atletas”, ressaltou Sebástian, judoca olímpico dos Jogos de Atlanta 96. 

A delegação nacional reforçou ainda a importância dos Jogos Escolares da Juventude para a detecção de talentos para o esporte nacional. Em Buenos Aires, o Time Brasil contou com 33 atletas entre 59 possíveis em 11 modalidades oriundos da maior competição escolar do país. Os Jogos Escolares da Juventude são organizados pelo COB desde 2005 e reúnem anualmente cerca seis mil atletas na etapa nacional. 

Buenos Aires 2018 apresentou novos formatos de modalidades, como o basquete 3x3, que fará sua estreia na versão adulta, em Tóquio 2020, o kitesurfe, classe da vela que está no programa de Paris 2024, e o ciclismo BMX freestyle, que visa uma aproximação com o público jovem. O futsal participou pela primeira vez de uma competição olímpica e foi a única a modalidade coletiva em que o Brasil esteve representado. Escalada, caratê, break dance, ginástica acrobática e handebol de areia também fizeram parte do programa, mas sem a presença de brasileiros.


foto: Jonne Roriz/Exemplus/COB

Postar um comentário

Copyright © Surto Olimpico. Designed by OddThemes