Andressa de Morais conquista a prata na final da Diamond League em Bruxelas; Thiago Braz fica em 10°


A temporada 2018 da Diamond League teve o seu encerramento nesta sexta-feira (31) com a última etapa final realizada em Bruxelas, em que o Brasil conquistou um grande resultado na prova do lançamento do disco feminino, em que Andressa de Morais ficou em segundo lugar.

Feminino:

A final do lançamento do disco terminou com um resultado surpreendente. A vitória ficou com a cubana Yaimé Pérez, com a marca de 65.00m, obtida na última tentativa. A brasileira Andressa de Morais conquistou o segundo lugar, com a marca de 64.65m, também obtida em sua última tentativa. A grande surpresa ficou por conta da croata Sandra Perkovic, que havia vencido todas as etapas da temporada, ficando apenas na terceira posição, com a marca de 64.31m, obtida em seu primeiro lançamento.

A colombiana Caterine Ibarguen, que no dia anterior faturou o diamante na final do salto triplo em Zurique, levou o diamante também no salto em distância. Ela conquistou a vitória saltando para 6.80m, dez centímetros a mais que a britânica Shara Proctor e doze à frente da americana Sha'Keela Saunders. No arremesso de peso, o diamante ficou com a chinesa Lijiao Gong, com a marca de 19.83m, seguida da americana Raven Saunders (19.64m) e da alemã Christina Schwanitz (19.50m). 

Nos 200m rasos, a vitória ficou com a bahamense Shaunae Miller-Uibo, com o tempo de 22.12, seguida das holandesas Dafne Schippers (22.53) e Jamile Samuel (22.64). Nos 100m com barreiras, as três primeiras colocadas ficaram separadas por apenas três centésimos, em que a vitória ficou com Brianna McNeal, com o tempo de 12.61, seguida da compatriota Kendra Harrison e da jamaicana Danielle Williams. Nos 400m rasos, a vitória ficou com a baremita Salwa Eid Naser, com o tempo de 49.33, seguida das americanss Phyllis Francis (50.51) e Shakima Wimbley (50.77). 

Nos 1.500m, quem levou a melhor foi a britânica Laura Muir, com o tempo de 3:58.49, seguida da americana Shelby Houlihan (3:58.94) e da holandesa Sifan Hassan (3:59.41). E nos 3.000m com obstáculos, o pódio foi todo queniano, com a vitória ficando com Beatrice Chepkoech, batendo o recorde do meeting, com o tempo de 8:55.10, seguida das compatriotas Norah Jeruto (8:59.62) e Hyvin Kiyeng (9:01.60).

Masculino:

Na final do salto com vara, o brasileiro Thiago Braz ficou apenas em décimo lugar, saltando para 5.53m. A vitória ficou com Timur Morgunov, que saltou para 5.93m. No salto em altura, o diamante ficou com o australiano Brandon Starc, que saltou para 2.33m. No lançamento do disco, o diamante ficou com o jamaicano Fedrick Dacres, com a marca de 68.67m, seguido do lituano Andrius Gudzius (67.56m) e do sueco Daniel Stahl (66.74m). No salto triplo, a vitória ficou com o português Pedro Pablo Pichardo, que saltou para 17.49m, seguido dos americanos Christian Taylor (17.31m) e Donald Scott (17.25m).

Nos 100m rasos, o americano Christian Coleman venceu a prova, com o tempo de 9.79, melhor marca pessoal, além de assumir a liderança do ranking mundial, que era do seu compatriota Ronnie Baker, que ficou em segundo na prova, com o tempo de 9.93, seguido pelo jamaicano Yohan Blake, com 9.94. Nos 110m com barreiras, o diamante ficou com Sergey Shubenkov, com o tempo de 12.97. 

Nos 800m rasos, a vitória ficou com o queniano Emmanuel Korir, com o tempo de 1:44.72, seguido do polonês Marcin Lewandowski (1:45.21) e do queniano Ferguson Rotich (1:45.28). E nos 5.000m, o pódio foi todo da Etiópia, com a vitória ficando com Selemon Barega, com o tempo de 12:43.02, batendo o recorde mundial sub-20, o recorde da Diamond League na prova e assumindo a liderança do ranking mundial. Hagos Gebrhiwet (12:45.82) e Yomif Kelejcha (12:46.79) completaram o pódio, fazendo suas melhores marcas pessoais.

Foto: Divulgação/IAAF


Postar um comentário

Copyright © Surto Olimpico. Designed by OddThemes