Africanos são atração nos 3.000 m com obstáculos do GP Brasil de Atletismo


O Grande Prêmio Brasil de Atletismo, que será disputado no próximo domingo (dia 08), na cidade de Bragança Paulista (SP), terá participantes africanos, especialmente na prova dos 3.000 m com obstáculos.

Um grande nome confirmado é o do queniano Nicholas Kiptanui Bett, top 10 no Ranking Mundial de 2018. Ele ocupa a oitava colocação, com o tempo de 8:13.18, obtido em Dessau, na Alemanha, em 08 de junho. O recorde pessoal do atleta de 21 anos é de 8:10.07, estabelecido em Lausanne , na Suíça, em 2016.

A lista de largada tem ainda os quenianos Barnabas Kipyego, campeão mundial sub-20 em Eugene 2014, que tem 8:17.08 (2018) e 8:09.13 (2016) Lawrence Kemboi Kipsang, com 8:15.07 (recorde pessoal 2018) e Clement Kimutai Kemboi, com 8:25.49 (2018) e 8:10.65 (2016). Outro africano na prova é o etíope Tesfaye Girma, que correu a prova em 8:38.70 em 2018 e em 8:16.14 em 2016.

O brasileiro Altobeli de Souza Silva (Pinheiros) está nos 3.000 m com obstáculos. Finalista olímpico nos Jogos do Rio 2016, ele é bicampeão da prova do GP Brasil. A melhor marca do ano do corredor de 2018 é de 8:29.04, alcançada em Sollentuna, na Suécia, no dia 28 de junho. O recorde pessoal é de 8:23.67 registrado em Rabat, no Marrocos, em 2017.

Na versão feminina dos 3.000 m com obstáculos, a etíope Birtukan Adamu está inscrita e tem 9:48.38, marca feita no dia 12 de maio, em Xangai, na China, mesmo lugar onde em 2017 obteve 9:24.97, seu melhor tempo.

A competição, válida pelo IAAF World Challenge, terá 18 provas, sendo que duas - 100 m para deficientes, masculina e feminina - são de exibição. 

Foto; CBAt


Postar um comentário

Copyright © Surto Olimpico. Designed by OddThemes