Surto de olho na Rússia: Tunísia jogará para quebrar um tabu histórico

Quando falamos de futebol africano e até de um modo geral, a Tunísia raramente será referência no esporte, sendo o único título do país em 2004 com a Copa Africana de Nações, atingindo a gloria máxima da seleção. Já em Copas do Mundo essa é sua quinta participação e nunca passaram da fase de grupos, tendo seu melhor resultado em sua primeira aparição.

No grupo 2, enfrentaram México, Alemanha Ocidental e Polônia e mesmo enfrentando seleções com maior experiência, foram muito bem, vencendo o México de virada por 3x1 com gols de Kaabi, Ghommidh e Dhouib - esta a unica vitória das Águias do Cartago em mundiais até hoje e a primeira do futebol africano na história do torneio -, derrota para os poloneses por 1x0 e o empate com os alemães ocidentais por 0x0 acabou eliminando os tunisianos da Copa de 1978.


Última Copa e Eliminatórias

Passados 28 anos da sua melhor campanha, a Tunísia disputaria a competição pela quarta vez em sua história, caindo no grupo H com Espanha, Ucrânia e Arábia Saudita. Em sua estreia contra os árabes, um 2x2 cheio de emoção, devido ao empate conquistado já nos acréscimos com gol de Jaïdi.

Contra os espanhóis, deu a lógica: Mesmo começando vencendo por 1x0 aos oito minutos do primeiro tempo com gol de Mnari, a seleção espanhola virou o jogo no segundo tempo com Raúl aos 26 e os dois gols de Fernando Torres aos 31' e aos 45'.

Já na contra a Ucrânia, a eliminação os tunisianos chegou de pênalti com gol de Shevchenko aos 25 minutos do segundo tempo, já na terceira partida da fase de grupos. A Tunísia estava eliminada novamente na primeira fase.


Nas eliminatórias que levaram o país africano para a Rússia, tudo começou na segunda fase contra Mauritânia, ainda em 2015. No jogo de ida, vitória tunisiana por 2x1 de virada, com o mesmo placar se repetindo na volta.

Pela terceira e última fase, a Tunísia se classificou sem perder uma partida sequer, mas ficou apenas um ponto do Congo, segundo colocado do grupo A. No primeiro turno apenas triunfos apertados: 2x0 em Guiné, 1x0 fora de casa diante da Líbia e 2x1 no confronto direto contra a seleção de Congo.

No returno o empate de 2x2 contra o Congo fora de casa foi importantíssimo, com os tunisianos empatando o jogo em apenas um minuto quando o placar marcava 2x0. A primeira goleada foi fora de casa e de virada contra Guiné por 4x1. E o empate por 0x0 contra a Líbia classificou o país para a Copa.


Surto de olho no craque


Wahbi Kahzri tem 27 anos e vai disputar sua primeira Copa do Mundo, sendo o principal jogador das Águias do Cartago, já que o melhor jogador do país, Youssef Msakni está fora por lesão. Kahzri foi revelado pelos franceses do Bastia, em 2009. Após algumas temporadas no clube da Ilha de Córsega se transferiu para o Bordeaux em 2014, que com boas atuações, foi jogar nos ingleses do Sunderland em 2016. A temporada para os ''Black Cats" foi muito ruim, culminando no rebaixamento e na reformulação, Khazri voltou para a França emprestado ao Rennes por um período curto indo muito bem, onde já retornou ao Sunderland.

O jogador fez apenas dois gols nas eliminatórias, o de empate contra Mauritânia ainda na segunda fase e o último contra Líbia, de pênalti na vitória por 1x0. Caso perdesse e terminasse empatado, muito provavelmente Congo estaria em sua primeira Copa do Mundo.

Sua posição de origem é meia-atacante, mas joga também como centroavante, ponta e meia esquerda. Ajuda na recomposição defensiva, tem habilidade nos pés para arriscar uma jogada individual. Vai ser o camisa dez da Tunísia no mundial.

Time titular






Nabil Maâlou tem 55 anos, vai disputar seu primeiro mundial como treinador e é sua segunda passagem pela seleção tunisiana. Ele é técnico desde 1997 e já trabalhou na seleção como auxiliar-técnico em duas oportunidades entre 2002 até 2004 e de 2006 até 2008. Também já comandou a seleção olímpica em 2003. Ainda não tem nenhum título como treinador.

Sua seleção deve ter entre os onze titulares: Bem Mostapha, Bronn, Syan Ben Youssef, Meriah, Maâloul; Fakhreddine Bem Youssef, Khaoui, Kahzri, Sassi, Badri e Ben Amor.

Conclusão


Não dá para esperar muita coisa da Tunísia nessa Copa do Mundo. O time é limitado e deve continuar com o tabu de nunca chegar ao mata-mata da competição. Pode ter alguma chance já que são favoritos contra o Panamá. Não deve chegar longe mas pode conseguir sua segunda vitória em mundiais.





Postar um comentário

Copyright © Surto Olimpico. Designed by OddThemes