Surto de olho na Rússia: Coreanos buscam ser a zebra do grupo F


Depois de anos sendo uma das principais potências do futebol asiático, a Coreia do Sul voltou a mediocridade. Será sua décima participação em mundiais - a nona consecutiva. O time não empolga como outrora e passou sufoco, só chegando a garantir vaga na última rodada das eliminatórias. Os coreanos vão ter que buscar inspiração em 2002 para chegarem ao mata-mata.

Naquele mundial jogando em casa, a Coreia do Sul deu um espetáculo a parte. Com sua torcida empurrando de maneira apaixonada e frenética, conseguiram vencer a Polônia por 2x0 na estreia. O empate com os Estados Unidos por 1x1 foi muito por causa do goleiro Friedel, que garantiu o resultado defendendo o pênalti e fazendo uma defesa espetacular no segundo tempo. Contra os portugueses, o gol de Park Ji-Sung garantiu a classificação e a primeira vaga do grupo D.


Nas oitavas de final, em um dos jogos mais controversos daquela Copa do Mundo, os coreanos enfrentaram a Itália e acabaram vencendo na prorrogação. O juiz expulsou Totti por simulação em um lance de pênalti claro e deu impedimento no que seria o gol de ouro de Tommasi. Apesar de tudo isso, Ahn Jung-Hwan fez o gol de ouro que classificou os diabos vermelhos.


Contra a Espanha, mais controvérsia. O juiz egípcio Gamal Ghandou foi um destaque negativo na partida, anulando dois gols legítimos de Baraja e Morientes. Com o jogo na cobrança de pênaltis, a Coréia do Sul venceu por 5x3 e se tornou a primeira seleção asiática a chegar numa semifinal de Copa do Mundo. Na cobrança perdida por Joaquín, o goleiro Lee Woon-Jae defendeu mas se adiantou demais. Mesmo com isso, o arbitro não mandou voltar a cobrança.


Na semifinal, acabou a sorte dos tigres asiáticos. Ballack a 15 minutos do final marcou o gol que classificou a Alemanha para a grande final. Restou a disputa do terceiro lugar contra a Turquia. Com Sukur marcando o gol mais rápido da história das Copas e Mansiz marcando duas vezes, a Coréia terminou em quarto lugar com o resultado de 3x2.


Ultima Copa e Eliminatórias

Em 2014, a Coréia do Sul fez uma péssima campanha. Caiu no grupo H de Bélgica, Rússia e Argélia. O empate contra os russos foi a única coisa boa dos coreanos naquele mundial, já que perderam para os argelinos por 4x2 e para os belgas por 1x0. Ser eliminada sem vencer uma partida era algo que não ocorria desde 1994, nos Estados Unidos.


Nas eliminatórias, a Coréia do Sul passou com um pé nas costas na segunda fase, vencendo todos seus oito jogos, marcando 24 gols e não sofrendo nenhum gol.

Já na terceira fase, um sufoco gigante e quase a eliminação. As derrotas para Catar, China e Irã, os três empates e as vitórias quase sempre apertadas, classificaram os coreanos por dois pontos, na segunda colocação do grupo A.


Surto de olho no craque



Son Heung-min é sem dúvidas o melhor jogador sul-coreano atualmente. O jogador de 25 anos, começou a carreira na Alemanha, pelo time do Hamburgo, em 2010. Foi contratado pelo Bayer Leverkusen em 2013, onde ficou apenas dois anos, sendo contratado pelo Tottenham por 30 milhões de euros, permanecendo no clube londrino até o momento.

Son foi o artilheiro da Coréia do Sul nas eliminatórias, marcando sete gols. Pela temporada feita no Tottenham, pode-se dizer que terminou o ano em alta. Fez 58 partidas e fez 20 gols. Son joga em muitas posições. Joga nos dois lados do campo, dependendo do jogo fazendo uma função mais defensiva ou ofensiva. Joga como meia-armador e centroavante. Devido ao seu estilo de jogo, com velocidade e dribles, ganhou o apelido de ''Sonaldo'', referência ao português Cristiano Ronaldo. Ele vai ser um dos jogadores que vai carregar um país todo nas costas.

Time titular






O treinador sul-coreano, Shin Tae-Yong tem 49 anos e vai disputar seu primeiro mundial. Tem como principal título no currículo a Liga dos Campeões da Ásia de 2010 com o Seongnam Ilhwa. Assumiu o comando da seleção em 2017, depois de passar pelo cargo de assistente da seleção em 2014 e treinar o sub-20 e o sub-23. 

O time base deverá ser Kim Seung-Gyu, Yun Young-Sun, Ki Sung-Yeung, Oh Ban-Suk; Lee Yong, Koo Ja-Cheol, Moon Seon-Min, Kim Min-Woo, Lee Jae-Sung; Lee Seung-Woo e Son Heung-Min.

Conclusão



Ao contrário de outros anos, o time da Coréia do Sul não terá grandes expectativas nessa Copa do Mundo. São zebras e dificilmente chegarão ao mata-mata, com chance de serem o saco de pancada desse grupo. Superação é a palavra dos coreanos para conseguirem um feito parecido com 2002.




Postar um comentário

Copyright © Surto Olimpico. Designed by OddThemes