Surto de olho na Rússia: Egito pode fazer história e quebrar tabus


Depois de tanto bater na trave por duas eliminatórias seguidas, o Egito finalmente está de volta a uma Copa do Mundo depois de 28 anos. A seleção vem para sua terceira Copa e tem tudo para quebrar o tabu de nunca passar para o mata-mata.

Em 2010, Argélia e Egito empataram em todos os critérios e jogaram uma partida única no Sudão. Os Egípcios perderam por 1x0. Em 2014, Após vencer com facilidade em seu grupo, enfrentou a Gana e sofreu uma impiedosa goleada por 6x1. Sem forças para reagir, os faraós venceram por 2x1 e não se classificaram. Sendo uma das seleções mais fortes do continente, não puderam repetir sua melhor campanha, de 1990.

Última Copa e Eliminatórias

Naquela Copa, em solo italiano, onde foi considerada o mundial mais defensivo de todos os tempos, o Egito empatou com a Holanda e Irlanda por 1x1 e 0x0 respectivamente. No terceiro jogo, segurou o empate contra a Inglaterra até os 14 do segundo tempo, mas Ian Wright marcou, obrigando o Egito a virar o jogo, já que irlandeses e holandeses empatavam por 1x1. Como o empate em Palermo prosseguiu e os faraós sequer empataram, acabou com as chances de classificação.


Nas eliminatórias para a Rússia, o Egito precisava lutar contra os adversários e não só isso, brigar contra a pressão de sempre chegar perto e não conseguir chegar na fase final do mundial. A pressão só aumentou quando no mata-mata para chegar a fase de grupos da classificatória, os egípcios perderam o primeiro jogo para Chade por 1x0. No jogo de volta, a goleada por 4x0 ainda no primeiro tempo, classificou os faraós para a fase de grupos.

No grupo E da terceira fase, o Egito enfrentou Uganda, Congo e Gana. Dos seis jogos, venceu quatro -, todos por placares apertados entre 1x0 ou 2x1-, empatou e foi derrotado uma vez, conseguindo 13 pontos e a classificação ao mundial depois de 28 anos, levando festa ao país árabe.

Surto de olho no craque


A imagem não poderia ser mais simbólica. Foto tirada após o jogo contra o Congo, onde minutos antes, Mohamed Salah trouxe enorme alegria ao país convertendo o pênalti que classificou o Egito a Copa do Mundo.

Salah era e acabou sendo a esperança egípcia para conseguir a vaga em um dos maiores torneios esportivos do mundo. O jogador foi o artilheiro das Eliminatórias, marcando cinco gols. Curiosamente quando a seleção não venceu, Salah não marcou. Em 2014, já teve influencia direta na participação durante as classificatórias, marcando seis gols e sendo também artilheiro.


Revelado pelo Al-Mokawloon, o faraó vive fase espetacular no Liverpool, marcando 43 gols em 48 jogos(até o momento), disputando a artilharia da temporada com Cristiano Ronaldo e Lionel Messi, consolidando um protagonismo inédito na era onde o português e o argentino dominam nesta década.

Quando foi contratado pelo Chelsea, mal jogou, sendo emprestado para Fiorentina e posteriormente Roma, por quem foi contratado após período de empréstimo. Após uma temporada pelos Giallorossi, foi contratado pelo Liverpool por 42 milhões de euros, sendo historicamente o jogador africano mais caro.

Logo na sua temporada de estreia, o treinador Jürgen Klopp o colocou mais perto do gol e isso vem causando estragos nas defesas adversárias ao lado de Roberto Firmino e Sadio Mané, formando um dos trios de ataque mais letais da Europa, fazendo os Reds chegarem a semifinal depois de 11 anos. Chamado pelos torcedores de ''Mo Salah'' e de ''Rei'', Salah se prova a melhor contratação desta temporada, com gols decisivos na disputa pelo sexto título continental. O grande futebol do egípcio garantiu o prêmio de melhor futebolista inglês do ano pela associação dos jogadores profissionais.

A popularidade do jogador com o povo de seu país é tão grande que em março, Mohamed Salah foi ''votado'' por 700 mil eleitores na eleição presidencial, que rasuraram a cédulas, insatisfeitos com os políticos à disposição. Chega a sua primeira Copa do Mundo para ser o dono da seleção egípcia nesse mundial e fazer uma campanha para entrar na história dos mundiais.


Time Titular


Héctor Cúper tem a missão de convocar e escalar a melhor geração egípcia da história. Dez jogadores do time titular jogam nas principais competições europeias. Provável time titular dos faraós deve vir a campo com El-Hadary; Elmohamady, Hegazi, Fathy, Abdelshafi; Eleny, Sobhi, Trezeguet, Said; Salah e Hassan.

Conclusão

O Egito vai brigar contra a Rússia por uma das vagas do grupo A. Melhor geração da história do país tem tudo para quebrar esse tabu, já que conta com um dos maiores nomes do futebol atualmente e no futuro deverá se tornar o maior nome do futebol do país. Essa seleção egípcia pode entrar nos livros de história e quebrar alguns tabus, escrevendo um dos contos mais legais dessa Copa do Mundo.



Postar um comentário

Copyright © Surto Olimpico. Designed by OddThemes