IPC pede a Tóquio 2020 que finalize o orçamento paralímpico

O Comitê Paralímpico Internacional (IPC) pediu ao Comitê Organizador de Tóquio 2020 que finalize o orçamento paralímpico para garantir a realização do espetáculo daqui pouco mais de 2 anos.

A chamada vêm após a conclusão da quinta revisão do projeto Tóquio 2020 do IPC.

Durante 2 dias de reunião, o IPC foi atualizado por várias áreas funcionais dentro do comitê organizador sobre os preparativos para os Jogos Paralímpicos.

O orçamento foi uma questão chave destacada além dos quartos de hotel acessíveis.
"O maior problema que atualmente enfrentamos com Tóquio 2020 é o orçamento paralímpico", disse Xavier González, diretor-executivo do IPC.

"Apreciamos e endossamos plenamente a necessidade do Comitê Organizador reduzir seu orçamento global, tornando eficientes e reduzindo custos onde for necessário."

"No entanto, durante este exercício ainda há muita incerteza em relação ao orçamento paralímpico."

"Precisamos de maior clareza do Comitê Organizador sobre os custos operacionais da Tóquio 2020 relacionados aos Jogos Paraolímpicos, a fim de entender melhor onde a economia de custos pode e deve ser feita."

"Tendo experimentado os Jogos Paraolímpicos Rio 2016, nos quais o Comitê Organizador enfrentou uma série de questões financeiras significativas, agora estamos em uma posição muito mais forte para trabalhar com Tóquio 2020 para identificar áreas de redução de custos que não afetam a experiência geral dos atletas e jogos."

"O ponto de partida para isso, no entanto, tem que ser a produção de um orçamento paralímpico detalhado".

Em dezembro, Tóquio 2020 fez um orçamento de 1,35 trilhão de ienes (12 bilhões de dólares) e na época os organizadores disseram que foi uma diminuição significativa nos custos em comparação com os números anteriores.

O comitê organizador acabou cortando 1,4 bilhão de euros em meio a pressão do COI para que os jogos tivessem um menor custo.

Tóquio 2020 prometeu buscar redução em custos adicionais como segurança e transporte por exemplo.

O presidente do Tóquio 2020, Yoshirō Mori, afirmou no mês passado que a redução do orçamento continua a ser a "maior prioridade" para os organizadores.

Na última Revisão do Projeto do IPC Tokyo 2020, realizada em outubro de 2017, o IPC compartilhou suas preocupações sobre a falta de quartos de hotéis acessíveis na capital japonesa.

"Tanto o Governo Nacional quanto o Governo Metropolitano de Tóquio mostraram um grande desejo de melhorar a situação relacionada aos quartos de hotel acessíveis, introduzindo nova legislação e lançando um programa de subsídios para auxiliar a acessibilidade", disse Gonzalez.

"O IPC agradece por essas medidas e espera que elas possam ter um impacto real não apenas aqui em Tóquio, mas em todo o Japão."

"No curto prazo, estamos trabalhando com a Tóquio 2020 e os provedores de hotéis para atender às necessidades imediatas de acomodação dos Jogos Paralímpicos."

No geral, o IPC está satisfeito com os progresos feitos.

A sexta Revisão do Projeto IPC Tóquio 2020 está prevista para outubro de 2018.

Foto:Tóquio 2020

Postar um comentário

Copyright © Surto Olimpico. Designed by OddThemes