Casa de Adenízia é invadida e medalhas ganhas em Grand Prix são roubadas

A central Adenízia, campeã olímpica em Londres 2012 com a seleção feminina de vôlei teve sua casa invadida na sexta-feira(27) em São Paulo. O ladrão roubou duas medalhas, as das conquistas dos Grand Prixs de 2016 (Bangcoc) e 2017 (Nanquim). Além disso, foram levados outros pertences de valor, como joias, relógios e aparelhos eletrônicos.


"Foi o único dia que não liguei o alarme da minha casa. Ele (ladrão) ficou meia hora, revirou minhas coisas, roubou joias, videogame, computador, relógios... mas isso eu compro de novo. O que me dói são as medalhas. Ele só achou essas porque eram mais recentes e estavam mais expostas, mais fáceis de achar. Não estava junto com as outras. Por sorte ele não achou uma caixa que tenho de medalhas, que tem mais de 200. Ele só não achou a caixa com todas porque ela estava com roupa em cima. Felizmente minha medalha de ouro olímpica estava no cofre, em outro lugar, mas nunca pensei que me aconteceria algo assim - desabafou a jogadora ao site globoesporte.com.

Adenízia foi até a polícia e fez um boletim de ocorrência. A câmera de segurança de uma residência vizinha à casa da central flagrou a ação do bandido. A atleta de 31 anos compartilhou a imagem do homem nas redes sociais e fez um apelo para que ele devolvesse as medalhas pelo menos.

A atleta joga atualmente no Savino del Bene e foi eleita a melhor bloqueadora do Campeonato Italiano. Ela está no Brasil e se apresenta ao técnico José Roberto Guimarães para os treinos da seleção brasileira feminina, visando a participação na Liga das Nações. Além do ouro olímpico conquistado nos Jogos de Londres 2012, Adenízia tem oito medalhas em Grand Prix e duas em Mundiais com o Brasil.

foto: divulgação

Postar um comentário

Copyright © Surto Olimpico. Designed by OddThemes