Coluna Lógos Olympikus #9 - Teve de tudo, até Brasil na neve

Por Juvenal Dias
 
Difícil até de começar a coluna, lembrando-me de todos os eventos que transcorreram nesse dia 6, confesso não ter chegado a uma conclusão do que foi mais importante. É um daqueles dias que mal pudemos respirar com tanta medalha sendo disputada, uma atrás da outra desde a manhã de PyeongChang até a noite, por vezes até simultaneamente. Durante todos os dias teve um período de descanso no meio dos eventos, hoje foi sem respiro.

Acho que o fato mais relevante para nós, brasileiros, foi a primeira participação de um dos nossos atletas. A veterana Jaqueline Mourão, de 42 anos, fez sua sexta aparição em Jogos Olímpicos, fosse de verão ou de inverno. Ela teve uma honrosa 74ª colocação dentre 90 atletas no Esqui Cross-Country Estilo Livre 10 km. Não foi sua melhor colocação na prova, mas todo esforço brasileiro de apenas estar competindo. Da mesma forma quando não consegue participar por motivos adversos. 

Infelizmente, Isabel Clark não poderá nos representar no Snowboard Cross, devido a um acidente nos treinamentos antes. Ela que falava em se despedir, espero que se inspire em Jaqueline e tente mais um ciclo. Seria um prêmio para quem conquistou a melhor colocação do país em qualquer modalidade de inverno, impossível não se lembrar do nono lugar em Turim-2006.

Tivemos, finalmente, competições de Esqui Alpino, que vinha sendo adiado. Hoje o tempo estava bem melhor e permitiu duas medalhas. Destaco a americana Mikaela Shiffrin, que venceu o Slalom Gigante. É tida como a sucessora de Lindsay Vonn, multicampeã da modalidade. Mikaela já provou que vale a pena as apostas nela, afinal só começou as disputas e já está no lugar mais alto do pódio. Outra modalidade que forneceu dois pódios hoje foi o Biatlo. Mais uma vez o destaque vai para o feminino com a sueca Hanna Öeberg, que foi eleita a estreante do ano em 2017 e já se tornou campeã olímpica com 22 anos. Tivemos pódio com quatro atletas no Esqui Cross-Country, isso porque duas esquiadoras fizeram exatamente o mesmo tempo depois de dez quilômetros.

Tivemos recordes quebrados também. Recorde olímpico na Patinação de Velocidade, com o holandês naturalizado canadense Ted-Jan Bloemen, que superou justamente os outros holandeses favoritos e deu ouro ao país que lhe acolheu graças a seu pai ser natural do Canadá. Primeiro recorde mundial também foi quebrado hoje. Aconteceu na Patinação Artística de pares – programa livre. A pontuação alcançada (159.31) trouxe o ouro improvável para a veterana Aljona Savchenko e seu parceiro bem mais novo, Bruno Massot.

Tivemos medalha no Snowboard Cross masculino, com a Espanha conquistando sua primeira láurea, foi o bronze Regino Hernandez. Outro país que debutou no pódio foi a Eslovênia no Biatlo masculino com a prata de Jakov Fak. E tivemos uma despedida. Foi o último dia de competições do Luge, com a Alemanha levando mais um ouro. 

Como vão passando rápido esses Jogos, tão rápido quanto os alemães do Luge. Amanhã já completa uma semana de disputas valendo medalhas. É cansativo ficar nas madrugadas acordado, mas já começa a fazer falta.

foto: Raphael Andriolo/globoesporte.com

Postar um comentário

Copyright © Surto Olimpico. Designed by OddThemes