Guia PyeongChang 2018 - Snowboard

O snowboard é disputado em cima de uma prancha fixa aos pés do atleta e exige habilidades combinadas do skate, surf e esqui na descida de uma pista de neve. A prancha utilizada deve ser proporcional ao corpo de cada atleta, mas por via de regra, ela deve ter o comprimento que vai do chão até a altura do queixo do competidor. Desenvolvido nos Estados Unidos na década de 60, o esporte entrou oficialmente no programa olímpico nos Jogos de Inverno de Nagano, em 1998.

No Snowboard Cross os atletas largam em grupos (que podem variar de 4 a 6 atletas) e descem a pista, formada por saltos e curvas, de forma simultânea com o objetivo de cruzar a linha de chagada em primeiro. 

Snowboard Slopestyle é disputado em uma pista que inclui uma variedade de obstáculos, como corrimões e rampas. Derivado de esportes radicais como o skate park e BMX, os atletas descem o percurso por duas vezes, realizando manobras que são avaliadas por juízes levando-se em conta a amplitude, originalidade e qualidade das manobras. 

Estreante em Olimpíadas, o Snowboard Big Air consiste na realização de complexas manobras feitas após saltos em rampas gigantes. Quanto mais alto e mais longe o snowboarder chegar, maiores as chances de boas notas dos juízes. 

No Slalom Gigante Paralelo os atletas descem a pista tendo que passar por diversos portões dispostos através do percurso. Após a fase eliminatória a competição passa a ser em formato de mata-mata com dois atletas por descida, vencendo quem chegar em primeiro seguindo as regras da competição. 

Já o Snowboard Halfpipe consiste em uma pista formada em uma grande vala semicircular (halfpipe). As paredes do tubo, construídas por neve, tem altura superior aos 5 metros. Os atletas descem a pista individualmente cruzando de um lado para o outro do tubo realizando manobras, que são julgadas pelos juízes levando em conta a execução, variedade e dificuldade, bem como a tubulação e a amplitude dos saltos.

Como será em PyeongChang 2018:  No Halfpipe e no Slopstyle os atletas terão direito a duas descidas na primeira fase, onde seis juízes darão notas, sendo descartada a maior e a menor nota. Contará para a classificação a maior nota entre as duas descidas. Os 12 primeiros se classificarão para a final, onde realizarão três descidas e a melhor nota será contada para definir os medalhistas.

No snowboard cross a competição começará com 40 atleta no masculino e com 30 no feminino. Homens serão divididos em oito séries com cinco atletas, onde os três primeiros em cada uma delas avançarão para as quartas de final. Entre as mulheres, apenas 24 das 30 avançarão par as fases eliminatórias.

No slalom gigante paralelo os atletas disputam primeiramente uma classificação por tempo e os 16 melhores se classificam para a fase de mata-mata, onde dois atletas se enfrentam até a decisão final.

A primeira fase do Big Air se assemelha ao do Halfpipe e do Slopstyle. Entretanto, na final os resultados das duas melhores descidas de cada atleta serão somadas para definir o campeão.  

Brasil   
A prova feminina contará com Isabel Clark, que participará de sua quarta Olimpíada no snowboard Cross. Em Turim 2006, Isabel se tornou a primeira brasileira a entrar em um top 10 em Olimpíadas de Inverno, até hoje o melhor resultado do Brasil. Repetir o desempenho de 2006 é uma tarefa difícil, mas superar as quartas de final da última Olimpíadas é possível.

Masculino

Slopestyle
Data: 10 e 11/02
Sede: Phoenix Snow Park
Competidores: 40
Favoritos ao ouro:   Seppe Smits |  Chris Corning |  Red Gerard
Candidatos a medalha:  Nicola Huber |  Kyle Mack |  Darcy Sharp |  Marcus Kleveland 

No Slopstyle masculino a equipe norte-americana chega forte com nomes como Chris Corning, medalhista de bronze no mundial de 2017, Red Gerard, campeão da Copa do Mundo da última temporada e líder da atual, e Kyle Mack, medalhista de bronze do mundial de 2015. Também devem entrar na disputa o atual campeão mundial Seppe Smits, Nicola Huber, Darcy Sharp e Marcus Kleveland.



Halfpipe
Data: 13 e 14/02
Sede: Phoenix Snow Park
Competidores: 30
Favoritos ao ouro:  Scotty James,  Iouri Podladchekov 
Candidatos a medalha:  Shaun White |  Ayumo Hirano |  Raibu Takayama |  Yutu Totsuoka |  Zhang Yiwei 

O Halfpipe conta com uma das maiores estrelas de todo o esporte, Shaun White. White terá pela frente a missão de bater o atual bicampeão mundial e campeão da Copa do Mundo da temporada 2016/2017, Scotty James. Também chegarão fortes na briga pelas medalhas de PyeongChang o campeão de Sochi 2014 e vice-campeão mundial de 2017, Iouri Podladchekov, e a equipe japonesa, que atualmente ocupa quatro dos cinco primeiros lugares da Copa do Mundo, e conta com dois medalhistas de Sochi 2014.

Snowboard cross
Data: 15/02
Sede: Phoenix Snow Park
Competidores: 40
Favoritos ao ouro:   Pierre Vautier |  Alex Pullin
Candidatos a medalha:  Omar Visintin |  Alessandro Haemmerle |  Paul Berg |  Lucas Eguibar

O atual campeão olímpico e mundial, Pierre Vautier, também lidera a atual Copa do Mundo e parte como um dos favoritos ao ouro. Ao seu lado aparece Alex Pullin. Tentando superar a decepção de ter saído sem medalha nos Jogos de Sochi 2014, Pullin chega a PyeongChang como medalhista de bronze no mundial de 2017 e apesar de estar em segundo no ranking da atual Copa do Mundo, venceu uma prova a mais na temporada do que Vautier. Destaque também para Omar Visintin, Alessandro Haemmerle , Paul Berg  e a equipe norte-americana.



Big Air
Data: 21 e 24/02
Sede: AlpensiaSki Jumping Centre
Competidores: 40
Favoritos ao ouro:  Stale Sandbech |  Chris Corning
Candidatos a medalha:  Mark McMorris |  Maxicence Parrot |  Roope Tonteri |  Marcus Kleveland |  Kayle Mack |  Darcy Sharp 

Stale Sandbech é o atual campeão mundial da categoria e deve brigar pelo ouro com Chris Corning, vice-campeão mundial em 2017 e atual líder da Copa do Mundo. Marc Morris detêm diversas medalhas nos X-Games e foi o campeão da Copa do Mundo de 2016/2017 e também aparece com boas chances, assim como seu compatriota, Maxicence Parrot. Roope Tonteri, campeão mundial em 2013 e 2015 e segundo colocado na Copa do Mundo de 2016/2017, Marcus Kleveland, Kayle Mack  e Darcy Sharp também podem brigar pelas medalhas. 

Slalom gigante paralelo
Data: 22 e 24/02
Sede: Phoenix Snow Park
Competidores: 32
Favoritos ao ouro:  Alexandre Andreas Prommeger |  David Karl |  Nevin Galvarini
Candidatos a medalha:  Alexander Payer |  Rodoslav Yankov |  Andrey Sobolev |  Edwin Coratti

Alexandre Andreas Prommeger é o atual campeão mundial, foi vice-campeão da Copa do Mundo de 2016/2017 e está em segundo na atual temporada. O austríaco chega a PyeongChang com certo favoritismo, mas terá em seu caminho fortes atletas, como os seus compatriotas David Karl, medalhista nos dois mundiais do ciclo, e Alexander Payer. Nevin Galvarini, líder da atual temporada e medalhista de bronze no mundial de 2017, Rodoslav Yankov, campeão da Copa do Mundo de 2016/2017, Andrey Sobolev, Edwin Coratti e Dmitry Loginov também estarão na briga por medalhas.


Mulheres:

Slopestyle
Data: 11 e 12/02
Sede: Phoenix Snow Park
Competidoras: 30
Favoritas ao ouro:  Miyabi Onitsuka |  Anna Gasser |  Jamie Anderson
Candidatas a medalha:  Reira Iwabuchi |  Laurie Blouin |  Zoi Sadowski-Synnott |  Julia Marino

O Japão conta com uma forte equipe no slopystyle liderada por Miyabi Onitsuka, campeã mundial em 2015 e bronze em 2017, e Reira Iwabuchi, de apenas 17 anos e que lidera a atual Copa do Mundo. Laurie Blouin, Zoi Sadowski-Synnott e a equipe norte-americana devem disputar as medalhas com as japonesas.



Halfpipe
Data: 12 e 13/02
Sede: Phoenix Snow Park
Competidoras: 24
Favoritas ao ouro:  Cai Xuetong |   Chloe Kim |
Candidatas a medalha:  Kelly Clark |  Clémence Grimal |  Haruna Matsumoto 

Cai Xuetong  é uma das principais candidatas ao ouro, já que dominou os mundiais no ciclo. A equipe norte-americana também conta com grandes nomes como o de Chloe Kim, campeã da última Copa do Mundo e líder da atual, e Kelly Clarck, medalhista de bronze em Sochi 2014. Clémence Grimal, que subiu no pódio dos dois mundiais do ciclo, pode estragar a festa da chinesa e das norte-americanas e levar o título para casa.

Snowboard cross
Data: 16/02
Sede: Phoenix Snow Park
Competidoras: 30
Favoritas ao ouro:  Lindsey Jacobellis
Candidatas a medalha:  Michela Moioli |  Chloe Trespeuch |  Nelly Moenne Loccoz |  Eva Samková

Entre as mulheres, Lindsey Jacobellis chegará como grande favorita mais uma vez para a medalha de ouro, mas dessa vez tentará escrever uma história diferente do que em Vancouver, quando foi prata, e Sochi, quando saiu de mãos vazias. Jacobellis conquistou os dois mundiais do ciclo e atualmente ocupa a quarta posição na Copa do Mundo. Suas maiores rivais devem ser Michela Moioli, duas vezes medalhista mundial no ciclo e atual líder da Copa do Mundo, as francesas Chloe Trespeuch, medalhista de prata no mundial de 2017, bronze em Sochi 2014 e vice-líder da copa do Mundo, e Nelly Moenne Loccoz, medalhista de bronze no mundial de 2015.



Big Air
Data: 19 e 23/02
Sede: AlpensiaSki Jumping Centre
Competidoras: 30
Favoritas ao ouro:  Anna Gasser |  Enni Rukajärvi |  Merika Enne | 
Candidatas a medalha:  Silje Norendal |  Sina Candrian | United Kingdom Katie Ormerod

Anna Gasser chega a PyeongChang como a principal candidata ao título do big air feminino. Atual campeã mundial e da Copa do Mundo, a austríaca deverá ter como principais rivais Enni Rukajärvi e Merika Enne. A Suíça também conta com uma grande equipe em que se destacam Silje Norendal, bronze no mundial de 2017 e com diversas medalhas nos X-Games, Helena Könz, campeã mundial de 2015, e Sina Candrian, bronze no mundial de 2017. Katie Ormerod pode conquistar a segunda medalha para o seu país no snowboard na história dos Jogos Olímpicos e as equipes do Japão e dos Estados unidos também chegam com bons nomes.

Slalom gigante paralelo
Data: 22 e 24/02
Sede: Phoenix Snow Park
Competidores: 32
Favoritas ao ouro:   Ester Ledecká |  Patrizia Kummer   
Candidatas a medalha:  Claudia Riegler |  Tomoka Takeuchi |  Selina Jörg |  Aliona Zavarzine

Ester Ledecká desembarca em PyeongChang para os Jogos como uma das grandes favoritas ao título olímpico. Campeã mundial em 2017 e líder da atual temporada da Copa do Mundo, a tcheca terá pela frente grandes atletas na busca pelo ouro, como Claudia Riegler, Patrizia Kummer, Tomoka Takeuchi, Selina Jörg e a forte equipe da Rússia.  

Curiosidades:

- Berço do esporte, os Estados Unidos são os maiores vencedores dos Jogos Olímpicos no Snowboard. São 10 medalhas de ouro, 5 de prata e 9 de bronze, totalizando 24 conquistas. Suíça, com 12 medalhas totais, e a França, com 10, completam o top 3.

- Além de o 9º lugar de Isabel Clark no snowboard cross ser o melhor resultado brasileiro em Olimpíadas de Inverno, ele também coloca a brasileira entre os três melhores resultados da América Do Sul. Apenas a Argentina, com um 4º e um 5º lugares na bobsled em 1928, conseguiu melhor resultado.

- A inclusão do Big Air no programa olímpico de PyeongChang 2018 segue uma tendência do COI de atrair cada vez mais o público jovem. A própria inclusão do snowboard, em Nagano 1998, já era um indício dessa tentativa de rejuvenescer os jogos.

Fotos: Getty Images
Reuters
Sigi Grabner/SG Snowboards
Getty Images Europe
Mitchell Haaseth/NBC Sports

Postar um comentário

Copyright © Surto Olimpico. Designed by OddThemes