Com dois pódios à noite, Andre Brasil contribui para recorde de ouros do país no Mundial de Natação Paralímpica

O Brasil foi duas vezes ao topo do pódio na noite de quarta-feira, 6, no Mundial de Natação Paralímpica, na Cidade do México, e alcançou a inédita marca de 15 medalhas de ouro conquistadas em competições deste porte. O destaque da jornada ficou com o nadador carioca Andre Brasil, que contribuiu duas vezes para este feito.

Após cinco dias de disputas na Piscina Olímpica Francisco Márquez, sede dos Jogos Olímpicos de 1968, o Brasil mantém-se na quarta colocação, com 15 ouros, 9 pratas e 7 bronzes. A Itália está em terceiro por ter um bronze a mais. Estados Unidos são vice-líderes (20 ouros) e a China segue incontestável na dianteira (25).

Os 15 ouros do México superam o desempenho do Brasil no Mundial de Eindhoven, na Holanda, em 2010, quando fomos ao pódio ouvir o hino nacional em 14 oportunidades. Jamais conseguimos romper esta barreira, até a noite desta quarta-feira, na capital azteca.

Na parte da manhã, Daniel Dias fora o responsável por quebrar outro recorde para o Brasil neste Mundial. Com o ouro nos 200m livre (S5), ele dera a 27ª medalha do país em competições deste porte. É a primeira vez na história que a delegação verde e amarela rompe a barreira das 26 medalhas em um Mundial. Coincidentemente, o país chegara a esta marca em Eindhoven 2010 e Montreal 2013.

André caiu na piscina duas vezes na noite de quarta-feira, 6. Nos 100m borboleta da classe S10 e no revezamento 4x100m medley 34 pontos (soma da classe funcional da equipe), obtendo o ouro em ambas.

Na prova individual nadou na raia seis, tinha apenas o quarto melhor tempo entre os finalistas, mas os 57s90 que foram suficientes para dar-lhe o ouro. David Levecq, da Espanha, ficou com a prata 1min00s77, e o pernambucano Phelipe Rodrigues, com o bronze (1min01s37).

Pouco mais de uma hora depois, ele compunha a equipe nacional no revezamento 4x100m medley 34 pontos. Daniel Dias, Ruan Souza e Phelipe Rodrigues completaram o time que bateu em primeiro na borda com o tempo de 4min32s23. Argentina ficou em segundo (4min44s05) e Estados Unidos, em terceiro (4min55s79).

“Incrível, que bom que eu contribui com este feito histórico. Espero contribuir sempre para novas marcas históricas no Brasil, seja com revezamento ou prova individual”, comentou Andre.

Daniel Dias, contudo, segue sendo o mais laureado brasileiro neste Mundial até aqui. Foram seis ouros em seis provas, duas delas em revezamentos. Andre Brasil também acumula seis pódios, porém em provas individuais foram três ouros e uma prata, e outros dois ouros nos eventos em equipe.

A noite de quarta-feira ainda contou com a prata de Talisson Glock nos 50m borboleta (S6).

O último dia de disputas do Mundial de Natação Paralímpica no México será nesta quinta-feira, 7, a partir das 13h (de Brasília).

Foto: Divulgação


Postar um comentário

Copyright © Surto Olimpico. Designed by OddThemes