Norte-americanos comemoram medalhas herdadas por doping russo

A retirada de algumas medalhas olímpicas conquistadas por russos durante os Jogos Olímpicos de Sochi devido ao escândalo do doping sistematizado e patrocinado pelo governo local está trazendo alívio para vários atletas ao redor do mundo, especialmente para alguns americanos que poderão receber anos depois uma medalha olímpica que não tiveram o gosto de colocar no pescoço no dia de suas finais.

Uma dessas atletas norte-americanas que poderão herdar uma medalha é Katie Uhlaender. Na quarta-feira a atleta comemorou muito o fato de o Comitê Olímpico Internacional (COI) ter decidido caçar a medalha de bronze da russa Elena Nikitina na prova do skeleton. Além da retirada da medalha, a atleta foi banida de futuras Olímpiadas. Com a desqualificação da russa, Uhlaender, quarta colocada na prova, poderá herdar a medalha de bronze.

Uhlaender afirmou acreditar que o doping russo é algo cultural e que os atletas realmente não entendem que estão fazendo algo de errado, mas que a retirada das medalhas dos russos é a única forma de corrigir as injustiças que o doping causou aos outros atletas. "Eu entendo que era uma diferença de cultura e que os russos não acreditam que fizeram algo errado. Mas essa foi a única maneira de corrigir isso", disse a norte-americana.

Também na quarta-feira o COI anunciou que o campeão olímpico da mesma prova no masculino, Aleksanr Tretiakov, teve a sua medalha retirada, o que mais uma vez beneficia um atleta dos Estados Unidos. Matt Antoine foi medalhista de bronze na Rússia e poderia herdar a prata. O ouro passaria a ser do letão Martins Dukurs e o bronze passaria a ser do seu irmão, Tomass Dukurs.

"Mudando as medalhas, é bom, é ótimo, mas não é uma mudança de vida para mim passar de bronze para prata. Para mim, a maior coisa agora é a justiça. Parece que finalmente, as pessoas que não jogaram de forma justa, não compuseram de forma justa, estão obtendo o que mereceram ", afirmou Antoine.

O caso do escândalo de doping russo se arrasta há anos e parece longe de um final, ao menos ao que se refere às punições impostas aos atletas do país. Outros medalhistas olímpicos, incluindo o vencedor de duas medalhas de ouro no bobsled Alexander Zubkov, que agora preside a federação russa do esporte, continuam sob investigação relacionada aos casos de doping. As medalhas dele também foram retiradas pelo COI.

Ninguém sabe exatamente o que acontecerá a seguir. O COI pediu à Federação Internacional de Bobsled e Skeleton para modificar os resultados olímpicos, o que é uma formalidade. Antoine provavelmente terá que entregar sua medalha de bronze, já que aparentemente vai para Tomass Dukurs, embora ele não tenha obtido instruções sobre quando e como fazer isso.


Uhlaender também não foi informado quando receberá sua medalha.  "O COI assumiu uma posição como essa e fazer o que é certo restaurou minha fé no sistema e no esporte. Estou apenas mais motivada e honrada em fazer parte desse movimento e quero estar nesse pódio na Coréia e provar que não foi um acaso. Estou apenas sobrecarregada agora. Mas isso definitivamente adicionou combustível ao meu fogo", afirmou.

Foto: Reuters


Postar um comentário

Copyright © Surto Olimpico. Designed by OddThemes