IWF começa a testar novas regras antidopagem mais rígidas durante mundial em Anaheim

A Federação Internacional de Levantamento de Peso (IWF) promete endurecer o combate ao doping na modalidade e novas medidas já serão tomadas no Campeonato Mundial que está acontecendo nos Estados Unidos desde a terça-feira. A entidade tem a expectativa de que mais de metade dos 377 levantadores inscritos na competição sejam testados em exames antidoping. A medida faz parte da tentativa de o esporte escrever um novo capítulo para tentar manter seu status de olímpico após ter sido ameaçado de exclusão pelo Comitê Olímpico Internacional (COI) pelos sucessivos casos de doping nos Jogos de Pequim 2008 e Londres 2012. A entidade já havia banido 10 países por 1 ano de suas competições, o que inclui o mundial que está sendo disputado.

Após o último dia de competições no mundial que ocorre em Anaheim, Califórnia, o COI começará as deliberações sobre a continuidade do levantamento de peso no programa olímpico nos Jogos de Paris 2024. "Aceitamos que, no passado, a incidência de doping no levantamento de peso tenha sido muito alta", afirmou o húngaro Tamas Ajan, presidente da IWF desde 2000 e secretário-geral por 24 anos antes disso. O presidente afirmou que a modalidade também é vítima de “menos de uma dúzia de países de alto risco, onde existe uma cultura de doping enraizada que vai além do levantamento de peso". Os países citados pelo presidente não foram nomeados.

Os casos de doping no levantamento de peso nas Olimpíadas de 2008 e 2012 foram descobertos recentemente depois que o COI começou a reanalisar as amostras dos atletas nessas edições. Dos 49 casos de doping revelados no levantamento de peso nas reanalises de 2008 e 2012 (mais do que qualquer outro esporte), 43 foram de nações que no passado fizeram parte da União Soviética.
A Rússia já havia sido banida dos Jogos do Rio 2016 por crimes repetidos que "levaram o levantamento de peso a ser desconsiderado". No final deste ano outras nove nações se juntaram à Rússia por terem ao menos três casos de doping entre os 49 descobertos pelo COI.

O presidente da Federação Russa de Levantamento de Peso, Maxim Agapitov, admitiu durante o Campeonato Europeu Júnior na Albânia, no mês de outubro, que o país teve vários casos de doping no levantamento de peso no passado. "Estamos construindo um novo futuro, mas aceito que temos que assumir a responsabilidade por tantos casos que testaram positivo no passado. É no passado, mas acontece que devemos responder por isso", afirmou Agapitov.

Outro país, potência na modalidade, que também está banido é a China. Quando foi suspensa o órgão que comanda o esporte no país emitiu um comunicado dizendo que "a China tem sido firmemente contra o doping e tem uma abordagem de tolerância zero para este problema específico". Tanto a Rússia quanto a China negam que o estado patrocine o doping e que os casos são isolados. As alegações de doping contra a China e a Rússia estão sendo investigadas pela Agência Mundial Antidoping (WADA).

Após o congresso da IWF no sábado, novas regras sobre o doping foram aprovados. Entre as mudanças, os países enfrentarão proibições de até quatro anos "se não cumprirem suas responsabilidades antidoping", o que os manteria fora dos Jogos Olímpicos.

Um novo sistema de qualificação olímpica também exigirá que os atletas para compitam com mais frequência do que alguns competem agora. O cazaque Ilya Ilyin, que teve as suas medalhas de ouro de Pequim e Londres retiradas depois que as reanalises dos exames apontaram o uso de drogas, esteve ausente de competições internacionais por mais de dois anos entre esses dois Jogos.

Também haverá mais testes feitos fora de competição e um registro mais detalhado da equipe de treinamento e suporte dos atletas. O programa antidopagem da IWF será entregue a uma Autoridade de Teste Independente. "Hoje marca o início de um novo capítulo para o levantamento de peso internacional. O Movimento Olímpico pode confiar que estamos fazendo, e continuaremos a fazer, tudo o que estiver ao nosso alcance para abordar a incidência de doping em nosso esporte", disse Ajan.


A Clean Sport Commission, criada pela IWF, foi a responsável por apontar as mudanças nas regras antidoping da modalidade. Ela inclui dois cientistas alemães, um advogado americano e o presidente da Federação Alemã de Levantamento de Peso, entre os seus sete membros. Eles acompanharão o progresso das mudanças adotadas nos próximos quatro anos.

Foto: AP Photo/Mike Groll


Postar um comentário

Copyright © Surto Olimpico. Designed by OddThemes