World Sailing trabalha para recolocar a vela paralímpica nos Jogos Paralímpicos de Paris 2024

A Federação internacional de Vela (World Sailing) já trabalha para colocar o esporte novamente no programa Paralímpico de Paris 2024. A vela que até a edição do Rio 2016 era disputada nas Paralimpíadas acabou sendo excluída do programa de Tóquio 2020, juntamente com o futebol de 7. O presidente da World Sailing, Kim Andersen, pediu que a organização continue com o seu "forte impulso", pois eles procuram incluir o esporte no programa paraolímpico Paris 2024.

Com a retirada dos dois esportes o Comitê Paralímpico Internacional (IPC) acabou incluindo o para-badminton e o taekwondo em Tóquio. O IPC considerado que a vela não cumpriu os critérios mínimos de seu manual para que o esporte tenha um alcance mínimo a nível mundial. Nas regras do IPC "apenas os esportes de equipe amplamente e regularmente praticados em um mínimo de 24 países e três regiões do IPC serão considerados para inclusão nos Jogos Paraolímpicos e para esportes individuais no mínimo 32 países em três regiões do IPC". As tentativas de recolocar o esporte ainda no cronograma dos Jogos na capital japonesa acabaram falhando.

A decisão do IPC levou a entidade a lançar um plano estratégico para que a vela possa recuperar o seu lugar no programa olímpico. Falando na reunião do Conselho Mundial de Vela em Puerto Vallarta, México, Andersen afirmou que a organização "também deve continuar com o forte impulso para garantir que a vela paralímpica esteja totalmente integrada em nossa estrutura e tenha o maior alcance possível para retornar aos Jogos Paralímpicos em 2024."

O plano estratégico traçado pela World Sailing tem quatro objetivos principais. O primeiro é aumentar a participação mundial para 40 países em quatro continentes até o final de 2020. O segundo objetivo é ampliar o número de competições, das mulheres praticantes e dos jovens. O terceiro ponto é o marketing efetivo e a comunicação do esporte, aumentando assim o engajamento com velejadores e fãs. A quarta etapa do plano está relacionada a garantir que haja um sólido quadro de governança na disciplina.


A World Sailing também escolheu o italiano Massimo Dighe para liderar os esforços para 2024. Dighe já havia sido escolhido em 2016 como gerente da vela paralímpica. O programa paralímpico de Paris 2024 deve ser fechado pelo IPC em janeiro de 2019, com o processo de inscrição dos esportes interessados em participar sendo lançado em breve.

Foto: Cleber Mendes/MPIX/CPB 


Postar um comentário

Copyright © Surto Olimpico. Designed by OddThemes