Coluna Buzzer Beater - Petrovic, um sopro de esperança

A CBB apresentou nessa semana o técnico croata  Aleksandar 'Aco' Petrovic como o novo técnico da seleção masculina de basquete até os jogos olímpicos de Tóquio. Uma notícia que reacendeu a chama da esperança que tinha se apagado em todos os fãs de basquete que gostam de ver a seleção de basquete. um técnico europeu, com ideias novas para refrescar o jeito engessado do basquete brasileiro de jogar. uma boa escolha da nova diretoria da CBB, que apesar dos vexames recentes em agosto, já se mexeu para começar a recuperar o basquete - não se esqueça do basquete feminino, presidente Guy Peixoto!

Ruben Magnano é um técnico com uma grande história, mas de duas fases distintas na seleção. Até 2014 víamos uma forte seleção na defesa e com boa transição ofensiva, em 2015 e 2016 vimos uma seleção engessada, que marcava mal e dependia muito de seus pivôs. Tanto é que Petrovic frisou que a seleção brasileira defende mal. embora a defesa não esteja muito na moda no basquete atual, é importante que ela seja minimamente efetiva quando se precisa dela.

No ataque Petrovic tem que fazer o Brasil voltar a ser Brasil. Lembra aqueles lances que você cornetava chamando de Crazy shooters? Bem, essa é a tendência do basquete atual e se usado com a devida parcimônia machuca qualquer defesa. E você lembra da Rio 2016 quando o Brasil atacava, era torce para alguma jogada individual e pronto. O Brasil precisa ser mais agressivo tanto no ataque e na defesa e isso Petrovic pode fazer. É um técnico com ótimos trabalhos e sabe montar times com bons ataques. Afinal, ele é irmão de um dos jogadores mais letais no ataque da história do basquete, Drazen Petrovic.

Mas nem tudo são flores, afinal Aleksandar vem para cá em baixo, buscando se reinventar na carreira. Os croatas, assim como os países da antiga Iugoslávia, são apaixonados por basquete e neste último ciclo, viram a Sérvia virar a melhor seleção do resto do mundo, com a prata na Rio 2016 - eliminando os croatas nas quartas de final - e no eurobasket viram a Eslovênia ser campeã europeia, contra a Sérvia. Os croatas caíram nas oitavas de final para Rússia, o que custou o emprego de Petrovic, que foi muito criticado pela imprensa croata.

Mas o encontro entre Petrovic e Brasil é benéfico para ambos. E mesmo com a ideia de jerico da FIBA com essas eliminatórias, espero ver a seleção evoluindo. Se classificar para o mundial deverá praticamente certo - Pela amor de Deus Brasil, o mundial subiu para 32 participantes e não tem convite, tá? - e até o Brasil terá tempo para ter um pouco da cara do basquete que o Petrovic implanta às suas equipes. Se tirar o basquete brasileiro da inércia no jeito de jogar, sua passagem no comando da seleção masculina já terá valido a pena.


foto: Getty Images

Postar um comentário

Copyright © Surto Olimpico. Designed by OddThemes