Tensão com a Coréia do Norte atrapalha venda de ingressos para Pyeongchang 2018

As tensões políticas da Coréia do Sul com a Coréia do Norte e a China estão diminuindo a venda de ingressos para as Olimpíadas de Inverno de 2018 na cidade de Pyeongchang.

A França disse na quinta-feira que a equipe, composta dentre eles pelos grandes biatletas,  não viajará para a Coréia do Sul se a segurança não puder ser garantida, à medida que as tensões se intensificam em relação ao programa nuclear da Coréia do Norte após o sexto e maior teste nuclear realizado no ultimo dia 3 de setembro.

Problemas com venda de ingressos também vindos da China, que era a expectativa de maior público estrangeiro nos Jogos, onde o governo proibiu os passeios de grupos para a Coréia do Sul após a decisão de Seul de implantar um sistema anti-míssil dos EUA para combater as ameaças da Coréia do Norte.

"As questões políticas estão tendo um impacto na venda de ingressos", disse Eom Chan-wang, diretor-geral da agência de marketing do Comitê Organizador de Pyeongchang para os Jogos Olímpicos e Paralímpicos de Inverno de 2018.A China, que representa o maior mercado, quase não comprou ingressos até agora ", disse ele em entrevista à agência Reuters na sexta-feira.

Os Jogos serão realizados em fevereiro de 2018, mas até o último 18 de setembro, apenas 312 mil ingressos foram vendidos, cerca de 29,2% das vendas direcionadas de 1,07 milhão de ingressos. Destes, cerca de 191 mil ingressos foram vendidos no exterior, 59,7% das vendas alvo de 320 mil ingressos. Os organizadores pretendem vender 750 mil ingressos em casa, mas até agora apenas 120 mil ingressos foram vendidos ou 16% da meta.

No entanto, os organizadores dos Jogos esperam que as vendas aumentem na China, uma vez que as pessoas poderão comprar diretamente ingressos on-line a partir de 16 de outubro, em vez de passar por "revendedores autorizados".

"Não haverá problemas com a venda de todos os ingressos, mas a maior tarefa é o número de celebridades e VIPs que virão do exterior para o evento, que serão afetados pela situação geopolítica", disse Eom."O presidente (Moon Jae-in) está fortemente empenhado em fazer das Olimpíadas uma Olimpíada pacífica", afirmou.

"Os sul-coreanos não tomam a questão da Coréia do Norte seriamente, ao contrário daqueles que vivem no exterior. Os estrangeiros estão preocupados com que a Coréia do Sul é um lugar perigoso, mas é muito pacífico aqui ".

Uma pesquisa da Gallup Korea, no início deste mês, revelou que 58 % dos sul-coreanos disseram que não pensam que outra guerra irá surgir na península coreana, a segunda porcentagem mais elevada desde que a pesquisa começou em 1992.

Eom espera que os sul-coreanos se apresentem para comprar ingressos com os Jogos mais próximos, como fizeram em eventos internacionais anteriores na Coréia do Sul. O escândalo de corrupção na Coréia do Sul envolvendo a ex-presidente Park Geun-hye e grandes empresas, incluindo a Samsung, também abalou a imagem dos Jogos, que foram citados no escândalo e segundo Eom, que acredita que no final tudo dará certo, este também é um dos motivos da baixa adesão coreana aos Jogos.

A abertura dos Jogos Olímpicos de Inverno de PeyongChang será no dia 9 de fevereiro. Já o início dos Jogos Paralímpicos acontecerá exatamente um mês depois, em 09 março de 2018.

Foto: Reprodução





Postar um comentário

Copyright © Surto Olimpico. Designed by OddThemes